EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Covid-19: 70% dos adultos da UE já receberam primeira dose da vacina

Covid-19: 70% dos adultos da UE já receberam primeira dose da vacina
Direitos de autor Francois Walschaerts/AFP or licensors
Direitos de autor Francois Walschaerts/AFP or licensors
De  Pedro SacaduraAna Lázaro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Até ao final do verão, Bruxelas espera atingir a meta de ter pelo menos 70% da população com a vacinação completa

PUBLICIDADE

A União Europeia (UE) atingiu, esta terça-feira, uma meta importante que estava estabelecida para o mês de julho. A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, confirmou que 70% da população adulta (maiores de 18 anos) do bloco comunitário recebeu, pelo menos, uma dose da vacina contra a Covid-19.

Completamente vacinados neste momento estão 57% dos adultos da União Europeia. Até ao final do verão, Bruxelas conta atingir na UE o objetivo de ter pelo menos 70% da população com a vacinação completa.

São boas notícias, de acordo com a presidente da Comissão Europeia, mas é preciso mais, sublinhou Ursula von der Leyen: "Estes números colocam a Europa entre os líderes mundiais. O processo de recuperação foi muito bem-sucedido, mas temos de continuar o esforço. A variante Delta é muito perigosa. Por isso, apelo a todos - que têm oportunidade - para serem vacinados. Para sua própria saúde e para proteger os outros."

Mas nem tudo são rosas. A campanha de vacinação parece avançar a bom ritmo, paralelamente ao aumento do número de infeções na Europa.

O motivo? Os virologistas lembram que não é só a população adulta que se pode tornar um reservatório de vírus, que as crianças não estão vacinadas e que as novas variantes estão a complicar, e muito, as coisas.

"Contra as variantes originais - como aquela que veio de Wuhan - provavelmente com 70% [da população vacinada] poderia cortar-se a transmissão. Mas depois apareceu a variante britânica e a variante indiana e são muito mais infecciosas, o que significa que é preciso uma cobertura de vacinação mais elevada para combater o problema", lembrou, em entrevista à Euronews, Marc Van Ranst, professor de virologia na Universidade Católica de Lovaina.

O levantamento das restrições e a reabertura das fronteiras para apoiar o setor do turismo também parecem não estar a ajudar, acrescentou van Ranst: "As pessoas vão de férias e transmitem alegremente os próprios vírus a outras pessoas por conta própria e trazem novos vírus para os países de origem, tal como aconteceu no ano passado. Mas, pelo menos, os casos que acabam no hospital são principalmente de não vacinados. (...) Não é 100%, mas a esmagadora maioria não está vacinada."

Entre os Estados-membros persistem as diferenças. Países como a Bulgária só têm 17% da população adulta completamente vacinada. Países Baixos, Dinamarca e Irlanda aproximam-se dos 84%.

Em Portugal, contam-se 58,4% da população, de acordo com dados do Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novas regras anticovid de circulação em Portugal: o que interessa saber

Extrema-esquerda francesa pede ao governo que reconheça o Estado da Palestina

Ataques russos na Ucrânia obrigam aviões polacos a patrulhar o seu espaço aéreo