Ainda há opções para os bancos russos banidos do SWIFT?

O euro e o dólar representam quase 80% dos pagamentos globais, deixando os bancos russos na lista negra com opções limitadas.
O euro e o dólar representam quase 80% dos pagamentos globais, deixando os bancos russos na lista negra com opções limitadas. Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O SWIFT é o principal sistema para realizar transações financeiras, mas não é o único.

PUBLICIDADE

Como parte da sua lista de sanções em constante expansão, a União Europeia proibiu os principais bancos russos de pertencerem ao SWIFT, o sistema de alta segurança que permite transações financeiras em todo o mundo.

Com sede na Bélgica, o SWIFT é o ator dominante nas finanças modernas: de acordo com a organização, mais de 11 mil instituições em mais de 200 países utilizam a rede para concluir pagamentos.

Estima-se que o SWIFT envia, em média, 42 milhões de mensagens por dia.

Os líderes da UE escolheram expulsar do SWIFT um grupo selecionado de bancos russos, incluindo o Sberbank, o maior do país, com o objetivo de afastar o Kremlin da economia global e drenar gradualmente os recursos que a Rússia investe na invasão militar da Ucrânia.

Mas estar fora do SWIFT não é o fim da estrada - apenas acrescenta mais obstáculos e complicações.

Os bancos colocados na lista negra ainda têm uma série de opções limitadas - e por vezes arriscadas - para contornar a proibição SWIFT e continuar a fazer negócios com os seus parceiros internacionais.

Veja o vídeo acima para descobrir as alternativas ao sistema SWIFT.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sete bancos russos de fora do sistema SWIFT. Dois escapam

Rússia excluída do SWIFT

Se não for Ursula von der Leyen, então quem será? Sete candidatos ao lugar cimeiro da Comissão