Eleições: Aliança Livre Europeia pede comissário para minorias

Candidatos da Aliança Livre Europeia às eleições europeias
Candidatos da Aliança Livre Europeia às eleições europeias Direitos de autor ALE/EFA
De  Aida Sanchez Alonso
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um comissário europeu para a proteção dos direitos das minorias e o reconhecimento pela UE do direito à autodeterminação das regiões que aspiram à indpendência são propostas da Aliança Livre Europeia, no seu manifesto para as eleições europeias.

PUBLICIDADE

O modelo de integração que a Aliança Livre Europeia defende é uma Europa baseada nas regiões. O bloco deve estar mais atento à diversidade dos seus povos, disse à euronews uma das candidatas, após a apresentação do manifesto, sexta-feira, em Bruxelas.

"Considero que as minorias nas nações são um elemento fundamental da União Europeia, são a diversidade na UE e a maioria delas necessitam de proteção e de medidas para desenvolver os seus direitos", referiu Maylis Rossberg, que representa a comunidade dinamarquesa que vive na Alemanha.

Défices de representação

O ex-eurodeputado catalão Raül Romeva é outro dos nomes na lista de candidatos. O político foi condenado a 12 anos de prisão pela sua participação no referendo para a independência da província espanhola da Catalunha, em 2017.

Eu sei que há muitas vozes que, no quadro dos Estados, no quadro dos grandes partidos com lógica de Estado, não se sentem representadas.
Raül Romeva
Candidato, Aliança Livre Europeia

Romeva cumpriu parte da pena e obteve um pedrão, mas não não pode ter atividade política até 2030, pelo que a sua candidatura é simbólica.

"É basicamente uma forma de enviar uma mensagem de que a UE tem défices importantes em termos de representação, não só em termos de representação das nações, mas também das línguas, das minorias, das opções", disse, à euronews.

"Eu sei que há muitas vozes que, no quadro dos Estados, no quadro dos grandes partidos com lógica de Estado, não se sentem representadas", acrescentou.

Este partido político europeu que defende a descentralização, tem atualmente dez eurodeputados A maior deles estão na bancada dos Verdes.

Os três membros do partido nacionalista da Flandres, uma região da Bélgica , integram o grupo Conservadores e Reformistas Europeus, de extrema-direita.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Deputada alemã Strack-Zimmermann vai liderar os liberais nas eleições europeias

Análise: Em Roma, os socialistas alertam para um "perigo real" nas eleições europeias

Tudo o que precisa de saber: O seu guia para as eleições europeias de 2024