EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Não, este vídeo não mostra o TIJ a condenar a Alemanha no caso do "genocídio" de Gaza da Nicarágua

Não, este vídeo não mostra a CIJ a condenar a Alemanha no caso de 'genocídio' da Nicarágua em Gaza
Não, este vídeo não mostra a CIJ a condenar a Alemanha no caso de 'genocídio' da Nicarágua em Gaza Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  James Thomas
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Um vídeo do processo que a Nicarágua interpôs contra a Alemanha no TIJ por alegadamente ter facilitado o genocídio em Gaza foi retirado do contexto. O The Cube investiga.

PUBLICIDADE

Tem circulado nas redes sociais um vídeo que alega falsamente mostrar um juiz do Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) de Haia, nos Países Baixos, a ordenar à Alemanha que retire o seu apoio a Israel.

Mas não só o processo está a decorrer, como a pessoa que aparece no vídeo nem sequer é um juiz.

No início de março, a Nicarágua apresentou um processo contra a Alemanha no TIJ, alegando que Berlim é cúmplice do genocídio em Gaza através do seu apoio político e financeiro a Israel. A Alemanha negou veementemente as alegações.

Desde então, o vídeo apareceu no Instagram e noutras redes sociais, supostamente a mostrar um juiz do TIJ a pedir à Alemanha que suspenda imediatamente a sua ajuda a Israel.

A legenda em alemão diz que a Alemanha foi "condenada", o que implica que o tribunal já se pronunciou sobre o caso e decidiu contra o país. 

No entanto, esta afirmação é enganadora. Para começar, embora o homem no vídeo esteja a falar no TIJ em relação ao caso da Nicarágua, ele não é um juiz.  Em vez disso, é o escrivão Philippe Gautier.

Tem uma série de funções, incluindo funções judiciais, como a gestão dos processos e documentos do tribunal, mas não é o juiz que preside ao caso.

O texto que está a ler no vídeo é o conjunto de uma série de medidas provisórias que a Nicarágua pediu ao tribunal para ordenar, em vez de uma sentença.

Estas incluem ordens para que a Alemanha suspenda o fornecimento de equipamento militar a Israel e para que faça tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que as armas alemãs, que já se encontram em Israel, não sejam utilizadas para contribuir para o alegado genocídio.

The video has been miscaptioned
The video has been miscaptionedEuronews

Vale a pena referir que ele está a falar inglês no vídeo. 

Os jornalistas do serviço alemão da Euronews verificaram que as legendas traduzidas são, em geral, exatas, apesar de o vídeo ter sido retirado do contexto.

As imagens são reais e foram filmadas como parte do processo da Nicarágua contra a Alemanha. Foram apenas mal legendadas. Podemos encontrar o vídeo no site oficial do TIJ.

O excerto em questão começa por volta do minuto 9:53 e é claramente enquadrado no vídeo completo da lista de pedidos da Nicarágua.

O presidente do TIJ, Nawaf Salam, pede ao escrivão para ler os pedidos ao tribunal, que depois mostra explicitamente que está a citar os processos judiciais da Nicarágua.

Como se isso não bastasse, também é errado sugerir que se trata de uma decisão judicial porque o TIJ ainda está a deliberar sobre o caso.

O tribunal publicou recentemente um comunicado afirmando que as audiências públicas sobre o assunto tinham terminado e que as deliberações tinham começado. Afirmou que irá emitir o seu veredito numa outra audiência pública, numa data ainda por decidir.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Notícias falsas estão a aumentar à medida que as eleições europeias se aproximam

A realeza europeia participou em marchas a favor da Palestina e acusou Israel de genocídio?

A Rússia continua a utilizar a ponte da Crimeia para reforçar as suas forças militares na Ucrânia?