EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

António Costa já foi ouvido pelo Ministério Público na Operação Influencer

António Costa
António Costa Direitos de autor Virginia Mayo/AP
Direitos de autor Virginia Mayo/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Antigo primeiro-ministro foi ouvido durante cerca de hora e meia pela procuradora Rita Madeira no DCIAP.

PUBLICIDADE

O antigo primeiro-ministro António Costa foi esta sexta-feira ouvido pelo Ministério Público no âmbito da Operação Influencer, avança o jornal Expresso.

Segundo a edição online do semanário, António Costa não foi ouvido como arguido: a audição foi realizada segundo um artigo do Código de Processo Penal que permite ouvir o ex-governante como suspeito.

O Expresso acrescenta que o ex-primeiro-ministro foi ouvido pela procuradora Rita Madeira, coordenadora da secção de corrupção no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), durante cerca de hora e meia.

Os advogados de António Costa enviaram entretanto uma nota à comunicação social a confirmar que o ex-primeiro-ministro foi ouvido e que a audição decorreu na sequência do requerimento apresentado pelo próprio a 2 de abril, realçando que Costa não foi constituído arguido e que se mantém "totalmente disponível" para colaborar com a justiça.

Requerimento no início de abril

Recorde-se que António Costa, no início de abril, anunciou que tinha dado instruções aos advogados para apresentarem um requerimento que lhe permitisse ser ouvido "com a maior celeridade" para esclarecer "qualquer dúvida ou suspeita".

A Operação Influencer levou em novembro do ano passado à detenção de Vítor Escária, chefe de gabinete de António Costa, Diogo Lacerda Machado, consultor e amigo de António Costa, dos administradores da empresa Start Campus Afonso Salema e Rui Oliveira Neves, e do presidente da Câmara de Sines, Nuno Mascarenhas, que ficaram em liberdade após interrogatório judicial.

O caso está relacionado com a produção de energia a partir de hidrogénio em Sines e com o projeto de construção de um Data Center na zona industrial e logística de Sines pela Start Campus.

António Costa demitiu-se depois de ter sido divulgado que o então primeiro-ministro era alvo de um inquérito instaurado no Ministério Público, junto do Supremo Tribunal de Justiça, suspeito de um crime de prevaricação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de António Costa desce do Supremo para o DCIAP

Crise no governo português: Ministério Público confunde António Costa com ministro da Economia

António Costa: "Obviamente, apresentei a minha demissão"