EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Salto de paraquedas sobre a Normandia inicia comemorações do Dia D

Cerca de uma dezena de paraquedistas saltaram de aviões da Segunda Guerra Mundial
Cerca de uma dezena de paraquedistas saltaram de aviões da Segunda Guerra Mundial Direitos de autor Jeremias Gonzalez/AP
Direitos de autor Jeremias Gonzalez/AP
De  Saskia O'DonoghueEuronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy, o presidente dos EUA Joe Biden e a realeza britânica estão entre as personalidades convidadas para as comemorações. Putin ficou de fora dos convites.

PUBLICIDADE

Uma dezena de paraquedistas saltou de aviões da era da Segunda Guerra Mundial no domingo sobre a Normandia, França, local onde foram plantados os alicerces da vitória dos Aliados.

A razão? Dar início a uma semana de cerimónias para comemorar os sacrifícios feitos pela geração em rápido desaparecimento de tropas aliadas que lutaram nas praias do Dia D há 80 anos durante essa guerra.

Em 6 de junho de 1944, soldados dos Estados Unidos, do Reino Unido, do Canadá e de outras nações aliadas da Europa e do mundo inteiro desembarcaram em cinco praias.

Estes antigos soldados estão agora a diminuir em número, com o mais novo em meados dos seus 90 anos e muitos outros com mais de 100 anos.

Os eventos da próxima semana, que incluirão espetáculos de fogo de artifício, saltos de paraquedas, comemorações solenes e outras cerimónias, contarão com a presença de líderes mundiais.

Muitos vêem isso como uma hipótese de efetivamente passar o testemunho das memórias para as gerações atuais agora que a guerra está novamente às portas da Europa, na Ucrânia.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy, o presidente dos EUA Joe Biden e a realeza britânica estão entre as personalidades que a França espera receber durante as comemorações do Dia D.

No entanto, há um líder que não estará presente: Vladimir Putin.

Putin de fora dos convites

Os organizadores confirmaram em abril que o Presidente russo não seria convidado para nenhum evento comemorativo, devido à invasão em curso na Ucrânia.

Durante uma conferência de imprensa na quinta-feira, um representante da presidência francesa confirmou a ausência da Rússia, sugerindo que a mera sugestão estava alimentando tensões entre a França e as nações aliadas.

"A Rússia não foi convidada. As condições para a sua participação não estão lá, dada a guerra de agressão lançada em fevereiro de 2022, que só aumentou nas últimas semanas", disseram eles.

Há também relatos de que vários estados membros da UE disseram que se sentiriam "desconfortáveis" se Putin fosse autorizado a participar.

No entanto, alguns representantes russos estarão presentes, a fim de reconhecer o sacrifício feito pelo país durante a Segunda Guerra.

Mais de 150 mil tropas aliadas estiveram nos desembarques do Dia D na Normandia em 1944, que, eventualmente, levaram à libertação da Europa Ocidental da Alemanha nazi.

A então União Soviética perdeu mais de 25 milhões de vidas naquela que apelida de 'Grande Guerra Patriótica'. O Kremlin marca essa vitória com um desfile militar anual na Praça Vermelha em Moscovo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron homenageia vítimas do Holocausto e vai a Dresden no segundo dia da visita de Estado

Russos celebram o Dia da Vitória em Viena

Rússia mostra poderio militar nos festejos do Dia da Vitória