EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Chandrayaan-3: O que precisa de saber sobre a missão da Índia para aterrar na Lua

Uma vista da Lua vista pelo módulo de aterragem Chandrayaan-3 durante a inserção na órbita lunar em 5 de agosto de 2023, nesta captura de ecrã de um vídeo divulgado em 6 de agosto de 2023.
Uma vista da Lua vista pelo módulo de aterragem Chandrayaan-3 durante a inserção na órbita lunar em 5 de agosto de 2023, nesta captura de ecrã de um vídeo divulgado em 6 de agosto de 2023. Direitos de autor ISROV via Reuters
Direitos de autor ISROV via Reuters
De  Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Poucos dias depois de a nave lunar russa Luna-25 se ter despenhado na sua superfície, uma missão indiana para alcançar o pólo sul da Lua entra na sua fase crítica.

PUBLICIDADE

A Agência de Investigação Espacial Indiana está a aproximar-se de uma tentativa de aterrar uma nave espacial no pólo sul da Lua, uma missão com implicações para a posição do país como potência espacial e para a futura exploração lunar.

A missão Chandrayaan-3 foi lançada a 14 de julho, a partir do principal porto espacial da Índia, no estado de Andhra Pradesh, no sul do país.

Desde então, passou por órbitas progressivamente mais amplas da Terra, foi transferida para uma órbita lunar e emergiu como um foco de orgulho nacional e de interesse global após a tentativa falhada da Rússia de a ultrapassar na aterragem no pólo sul da Lua.

Eis os principais factos sobre a missão Chandrayaan-3 da Agência de Investigação Espacial Indiana (ISRO).

Qual é a missão da Chandrayaan-3?

A Chandrayaan-3 tem como alvo o pólo sul lunar, uma região com gelo de água, ou água congelada, que pode ser uma fonte de oxigénio, combustível e água para futuras missões à Lua ou para uma colónia lunar mais permanente.

Se a aterragem for bem sucedida, espera-se que a Chandrayaan-3 se mantenha funcional durante duas semanas, realizando uma série de experiências, incluindo uma análise espectrométrica da composição mineral da superfície lunar.

O módulo de aterragem Chandrayaan-3 tem cerca de 2 m de altura e uma massa de pouco mais de 1.700 kg, mais ou menos equivalente a um SUV. Foi concebido para lançar um rover lunar mais pequeno, de 26 kg.

O administrador da NASA, Bill Nelson, disse em declarações à Reuters que a agência espacial norte-americana estava "ansiosa" por saber o que se iria aprender com a missão indiana.

Quais os desafios que a missão enfrenta?

A anterior tentativa da Índia de aterrar no polo sul lunar, em 2019, falhou.

A missão Chandrayaan-2 conseguiu lançar com sucesso um orbitador, mas o seu módulo de aterragem e o rover foram destruídos num acidente perto do local onde a Chandrayaan-3 vai tentar aterrar agora.

O terreno acidentado é uma das complicações de uma aterragem no pólo sul.

Os cientistas da ISRO afirmam ter efetuado ajustamentos que tornam mais provável que a atual missão consiga aterrar. Isso inclui um sistema para alargar a potencial zona de aterragem. O módulo de aterragem foi também equipado com mais combustível e pernas mais resistentes ao impacto.

A primeira missão lunar russa em quase 50 anos falhou no fim de semana, quando a sua nave espacial Luna-25 se despenhou na superfície da Lua após uma órbita descontrolada.

Uma empresa espacial privada japonesa, a ispace, também falhou uma tentativa de aterragem lunar em abril.

Os desafios políticos e económicos são grandes

Uma missão bem sucedida faria da Índia o quarto país a aterrar com sucesso na Lua, depois da antiga URSS, dos Estados Unidos e da China, e marcaria a sua emergência como potência espacial, mesmo antes das eleições nacionais do próximo ano.

PUBLICIDADE

O governo do Primeiro-Ministro, Narendra Modi, está também a tentar estimular o investimento em lançamentos espaciais privados e em atividades relacionadas com satélites.

A Índia pretende que as suas empresas espaciais privadas quintupliquem a sua quota do mercado mundial de lançamentos na próxima década.

Modi afirmou, aquando do lançamento da missão à Lua, que a ISRO está a escrever "um novo capítulo na odisseia espacial da Índia" e a elevar "os sonhos e as ambições de todos os indianos".

A ISRO planeia transmitir a aterragem a partir das 13h50 CET - 12h50 em Lisboa, esta quarta-feira.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Viena volta a ser considerada a cidade mais habitável do mundo em 2023

Carro sem condutor chinês atropela uma pessoa que não respeitou o semáforo

Nova linha do metro de Roma não terá gladiadores, mas vai passar por baixo do Coliseu