Como será o futuro das viagens dentro de 50 anos?

O check-in e a segurança no aeroporto serão cada vez mais sofisticados e sem filas.
O check-in e a segurança no aeroporto serão cada vez mais sofisticados e sem filas. Direitos de autor Marco Lopez
Direitos de autor Marco Lopez
De  Rebecca Ann Hughes
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Especialistas fazem antevisão do futuro da indústria do turismo

PUBLICIDADE

Se o sistema biométrico de Entrada e Saída da Europa (que deve entrar em vigor no final de 2023) parece hi-tech, as previsões de como serão as viagens dentro de cinquenta anos são praticamente tema de filmes de ficção científica.

A companhia aérea de baixo custo easyJet pediu a um painel de especialistas - incluindo académicos, futurologistas e consultores de negócios - para antever como serão as viagens em 2070.

As descobertas, divulgadas no relatório "2070: The Future Travel Report” da companhia aérea, fazem previsões sobre como escolher e reservar as suas férias, o aeroporto, a experiência de voo e o alojamento.

Dos passaportes de "assinatura cardíaca" a guarda-roupas de férias impressos em 3D, segue-se uma lista do que podemos esperar nas viagens do futuro.

Como as pessoas vão reservar as férias no futuro?

Em vez de folhear uma brochura ou percorrer o Instagram à procura de inspiração, em 2070 escolher um destino de férias será uma experiência Meta.

“Assim como se experimentam roupas numa loja atualmente [...], os clientes poderão explorar e experimentar destinos de férias no metaverso online antes de fazer uma compra”, diz a professora Birgitte Andersen, diretora-executiva do Big Innovation Centre.

Será possível usar experiências de realidade virtual para "experimentar antes de comprar."

“Isso beneficiará quem tem tempo ou opções financeiras limitadas e precisa de fazer uma escolha melhor e informada”, acrescenta Andersen.

Como serão as viagens aéreas no futuro?

Os especialistas preveem que as viagens do futuro serão muito mais suaves e rápidas, com conexões rápidas de transporte para os aeroportos.

“85% dos viajantes em muitos países chegarão de transporte público elétrico, incluindo veículos autónomos”, diz Patrick Dixon, presidente da Global Change Ltd.

Poderá até mesmo chegar-se ao aeroporto via e-VTOL - táxis aéreos elétricos que o levam de casa para o aeroporto. “Pelo menos 250 empresas já estão a desenvolver esses veículos”, explica.

O check-in e a segurança no aeroporto tornar-se-ão cada vez mais sofisticados - e sem filas. Ao entrar no prédio, o software de reconhecimento facial irá identificá-lo e combiná-lo com o voo reservado.

Em termos de bagagem, é possível que não precise de nenhuma. “Em vez de levar roupas nas férias, tudo o que precisará serão as suas medidas”, refere o professor Graham Braithwaite, diretor de Sistemas de Transporte da Cranfield University.

Ao chegar ao seu destino, haverá um serviço de roupas recicláveis que imprime em 3D o seu guarda-roupa.

Como serão os aviões no futuro?

Conforto e personalização caracterizarão as aeronaves do futuro. “O design biomimético – a copiar as eficiências encontradas na natureza – revolucionará os assentos e o conforto das aeronaves”, diz a consultora Melissa Sterry.

“A inovação na ciência dos materiais também levará a criação de materiais mais leves, porém mais fortes, para uma experiência de conforto feita à medida, ao mesmo tempo em que se mantém a segurança.”

Como serão os passaportes no futuro?

O reconhecimento facial e os passaportes biométricos já estão a ser usados, mas até 2070 os especialistas estimam que toda a documentação de emissão de bilhetes e identidade será digital.

PUBLICIDADE

Os dados biométricos dos passageiros - como impressões digitais e verificações de retina - serão armazenados numa base de dados global.

Também pode incluir o batimento cardíaco, já que a "assinatura cardíaca" de cada pessoa é única.

Como serão os hotéis do futuro?

Quando se trata de hotéis, os especialistas anteveem carros sem motorista para embarque no aeroporto e um concierge pessoal holográfico digital.

A decoração do quarto de hotel será personalizável de acordo com o seu gosto. “Pense no próprio hotel como um único organismo humano de inteligência artificial que controla todos os aspetos da sua estadia, personalizado de acordo com as suas preferências”, diz o analista de tendências Shivvy Jervis.

“Um assistente de quarto virtual digital irá cumprimentá-lo e ajudá-lo com qualquer coisa, desde pedir uma toalha nova até sugerir um lugar para comer e fazer uma reserva.”

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Bikepacking": A nova forma de viajar pela Europa

Como obter um dos 35 mil passes de comboio gratuitos para jovens este verão

Aeroporto de Dublin poderá quebrar tradição de 76 anos de bênção de aviões