Última hora
This content is not available in your region

Eurodeputados realçam desafio de conquistar voto nacionalista na França

Eurodeputados realçam desafio de conquistar voto nacionalista na França
Tamanho do texto Aa Aa

A primeira volta das eleições presidenciais na França chamou a atenção muito para além das suas fronteiras e vários jornais europeus dedicaram-lhe a primeira página.

“Hollande venceu a primeira ronda”, foi o título escolhido pelo “Financial Times”. Na primeira página da “Libre Belgique” estão as fotos dos dois finalistas e da candidata da Frente Nacional, que atingiu um valor histórico. O jornal espanhol “El Pais” diz que a ascensão de Marine Le Pen vai condicionar a segunda volta.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Audrey Tilve, recolheu algumas reações no Parlamento Europeu.

Apesar da pequena margem pela qual os socialistas ultrapassaram o centro-direita, o europeputado socialista belga, Marc Tarabella, acredita no início de uma nova dinâmica na Europa: “Devido à sua intenção de renegociar o tratado orçamental, François Hollande é a esperança para o relançamento da economia europeia. É fundamental que, com ele, se crie a esperança de ter outras políticas que impulsionam a máquina do crescimento e do emprego”

Os cerca de 20% de votos na extrema-direita são um sinal da cultura do medo, para um eurodeputado ecologista. “O medo foi o principal motor desse tipo de voto assente na identidade nacional que vemos na França, como vemos na Flandres, na Finlândia, na Itália, etc. Penso que o medo é sempre mau conselheiro, mas ele existe na sociedade”, afirmou Philippe Lamberts, dos Verdes.

Mas o colega de um partido nacionalista belga diz que se trata de um voto de protesto: “Isto tem a ver, obviamente, com o facto de muitos franceses estarem cansados da imigração em massa, da insegurança, mas também da política europeia. Querem uma política mais a favor da França e que seja mais crítica em relação à União Europeia”, considera Philip Claeys, do Vlaams Belang (Interesse da Flandres).

Para o eurodeputado conservador britânico, Richard Ashworth, o eleitorado da Frente Nacional coloca sobretudo desafios ao Presidente Nicolas Sarkozy: “O que é que a campanha de Sarkozy vai fazer para atrair estes votos? Até que ponto ele se vai encostar mais à direita e que impacto é que isso pode ter no eleitorado do centro, do qual ele também precisa?”