Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Operalia comemora 20 anos na China

Operalia comemora 20 anos na China
Tamanho do texto Aa Aa

In partnership with:

A célebre competição Operalia comemora 20 anos. O fundador, o famoso tenor espanhol, Plácido Domingo, orgulha-se de procurar as vozes de amanhã. Chama à competição “Olimpíadas para cantores”.

“Adoro o que estou a fazer. Sei o tanto que tive que fazer no início e sei o quanto me teria ajudado se houvesse uma competição como esta. Desde os 30 anos que me lembro de dizer, numa entrevista, que um dia gostaria de ter a possibilidade de ajudar os jovens e agora estou a fazê-lo”, diz Domingo.

Centenas de candidatos de todo o mundo concorreram, mas apenas 14 dos 40 convidados chegaram à final. Entre eles, Janai Brugger dos Estados Unidos.

“Rezo, tento respirar fundo, mas a tensão é muita e, algumas vezes, os nervos apoderam-se de nós, mas eu tento controlar-me e transformar isso em entusiasmo”, afirma Janai.

Não é uma tarefa fácil. A pressão é grande. O júri é internacional… E todos têm consciência que uma vitória abre as portas mundiais do mundo da ópera.

Apesar dos ensaios intensos, os finalistas têm tempo de descobrir Pequim. Pela primeira vez, Operalia realiza-se na China.

O contratenor americano Anthony Roth Costanzo está impressionado com o ambiente: “É muito emocionante para mim, porque eu penso que as pessoas não sabem muito sobre contratenores e adoram ouvir o tenor e os sopranos e estão habituados a isso. Na China, é incrível ver a reação do público face ao contratenor. Portanto, impressioná-lo tem sido maravilhoso”.

No Centro Nacional para as Artes Performativas, os concorrentes dão o seu melhor. No final, Janai leva o primeiro prémio feminino para casa. Anthony e o barítono mongol Amartuvshin partilham o primeiro prémio masculino.

“Eu estava bastante nervosa por candidatar-me a algo deste nível, mas tenho de desafiar-me e aprender a ter confiança. Portanto, isto ajudou-me definitivamente nesses aspetos”, sublinha Janai.

“É um concurso magnífico, que nos permite avançar na nossa carreira e nos encoraja naquilo que fazemos”, realça Amartuvshin.

“Houve um momento esta noite em que eu estava a cantar e olhei para baixo e vi o Domingo a olhar para mim. É difícil de acreditar que está a acontecer e isso foi incrivelmente inspirador”, conta Anthony Roth Costanzo.

Nesta história pode ouvir excertos das seguintes obras:

Händel: Tolomeo “Stille amare”

Verdi: Rigoletto “Cortigiani vil razza dannata”

Charpentier: Louise “Depuis le jour”

Para mais excertos da nossa entrevista (em inglês) com o tenor Plácido Domingo, clique na seguinte ligação:
Bonus interview Plácido Domingo