EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Londres acolhe maior exposição europeia de Elvis Presley

Londres acolhe maior exposição europeia de Elvis Presley
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Rei do Rock está de volta… A maior exposição de sempre dedicada a Elvis Presley na Europa abriu as portas na arena O2 em Londres. É uma mostra com

PUBLICIDADE

Rei do Rock está de volta… A maior exposição de sempre dedicada a Elvis Presley na Europa abriu as portas na arena O2 em Londres.

É uma mostra com mais de 300 artefactos do cantor, propriedade da família, alguns nunca tinham saído da antiga casa de Elvis, Graceland, que é agora um museu, em Memphis, no estado norte-americano do Tennesse.

“Vamos também até os bastidores, levamos as pessoas até Graceland onde ele entreteve amigos e criou a família. Está aqui tudo, desde as chaves de Graceland, até a carteira que ele levava consigo e que tinha a fotografia da filha. Também temos coisas de quando ele era uma criança, que a mãe guardou, como as notas da terceira classe ou a primeira caixa de lápis de cera. Há uma tentativa para mostrar quem Elvis era de facto”, afirma Angie Marchese, diretora dos Arquivos da Graceland de Elvis Presley.

Quase 4 décadas após a sua morte, em 1977, Elvis possui ainda uma legião de fãs em todo o mundo.

“Elvis tinha 42 anos e sempre terá 42. É isso, o resto dos animadores estão a envelhecer mas, claro, o Elvis nunca mais ficará mais velho. Por isso, os fãs identificam-no com 42 anos”, diz David Wade, diretor do clube de fãs “Strictly Elvis UK”.

Afinal, ao contrário do que os organizadores dos concertos diziam quando o público não arredava pé após um espetáculo: Elvis ainda não deixou o edifício.

A exposição está em Londres até agosto do próximo ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Stonehenge intacto após ato de vandalismo de ativistas pelo clima

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido