Última hora
This content is not available in your region

Jordânia cede ao ultimato do grupo Estado Islâmico

Jordânia cede ao ultimato do grupo Estado Islâmico
Tamanho do texto Aa Aa

A Jordânia cede ao ultimato do grupo Estado Islâmico e afirma estar pronta a libertar uma jihadista iraquiana condenada à morte, para obter a libertação de um piloto da força aérea do país.

Num comunicado difundido ontem, o grupo islamita tinha ameaçado executar em 24 horas o piloto jordano, sequestrado no dia 24 de Dezembro após a queda do seu caça F16 em território sírio, assim como um refém japonês, se Sajida al-Rishawi não fosse libertada.

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros japonês encontra-se em Amã, onde afirma prosseguirem as negociações com o grupo islamita para a libertação do jornalista Kenji Goto, raptado desde outubro.

O grupo Estado Islâmico tinha afirmado, na semana passada, ter executado outro refém japonês, depois de ter exigido um resgate de 200 milhões de dólares a Tóquio pela libertação dos dois homens.

Esta quarta-feira, centenas de pessoas reuniram-se na capital japoneas, numa vigília para exigir a libertação de Kenji Goto.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.