Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

UNESCO condena ataque a Museu de Mossul

UNESCO condena ataque a Museu de Mossul
Tamanho do texto Aa Aa

A UNESCO apelou a uma reunião de crise do Conselho de Segurança da ONU, depois dos extremistas do Estado Islâmico terem destruído esculturas do Museu da Civilização, em Mossul, parte do património histórico do Iraque.

Vemos bem como os terroristas usam a destruição do património como estratégia de terror.

Os “jihadistas” divulgaram esta quinta-feira um vídeo onde vários homens derrubam estátuas da época assíria, nos séculos VIII e VII antes de Cristo.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Irina Bokova, disse que “esta tragédia é mais do que um assunto cultural. É uma questão de segurança vital e vemos bem como os terroristas usam a destruição do património como estratégia de terror, para destabilizar e manipular populações e garantir a sua dominação”.


Vários peritos compararam o ato do Estado Islâmico com a demolição dos Budas de Bamiyan no Afeganistão, perpetrada pelos talibãs em 2001.

Este tipo de atentados contra o património cultural por parte de grupos que partilham uma visão radical do Islão reproduziu-se também em conflitos recentes, no Mali, na Líbia e na Síria.