Última hora
This content is not available in your region

Roménia faz caça aos corruptos para se livrar da má reputação

Roménia faz caça aos corruptos para se livrar da má reputação
Tamanho do texto Aa Aa

A Roménia é um dos países com maior índice de corrupção da União Europeia (UE) e Bruxelas mantém uma vigilância apertada nessa matéria.

"Perguntam-me qual é o segredo do sucesso do nosso organismo anti-corrupção? Respondo que o mais importante é nomear as pessoas certas. E agora há quem queira seguir o nosso exemplo, na Bulgária e noutros países.

Mas desde 2014 que o país iniciou uma verdadeira caça aos corruptos, levando à detenção de altas figuras da política e da administração pública, entre outros.

Para avaliar esta viragem, o Parlamento Europeu promoveu uma audição, esta terça-feira, onde participou a Procuradora-geral do país, Laura Kovesi.

“O nosso sucesso mede-se pelo facto de termos conseguido condenações para crimes de corrupção que estavam a ser investigados há vários anos, envolvendo pessoas que tinham funções muito importantes. Estou a falar de um ex-primeiro-ministro, ex-ministros, senadores, deputados, juízes, presidentes de conselhos municipais”, explicou a Procuradora-geral.

Estima-se que, desde 2014, a corrupção custou mil milhões de euros ao Estado, ao setor privado e aos cidadãos, vítimas de esquemas de subornos e sobreavaliações.

Ex-ministra da Justiça, a eurodeputada romena, Monica Macovei, diz que o país se tornou um caso exemplar.

“Pessoas de outros países perguntam-me como é que conseguimos esta viragem, qual é o segredo do sucesso do nosso organismo anti-corrupção? Respondo que o mais importante é nomear as pessoas certas. E agora há quem queira seguir o nosso exemplo, na Bulgária e noutros países”, referiu a eurodeputada.

A Bulgária é o segundo país mais pobre da UE e a luta contra a corrupção é vista como essencial para atrair investimento estrangeiro e para obter mais verbas comunitárias.