Última hora
This content is not available in your region

Tribunal Europeu diz que Barroso não forçou demissão de comissário John Dalli

Tribunal Europeu diz que Barroso não forçou demissão de comissário John Dalli
Tamanho do texto Aa Aa

O antigo presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, não forçou a demissão de John Dalli, ex-comissário europeu da Saúde e Defesa do Consumidor. É pelo menos esse o entendimento do Tribunal Geral da União Europeia, com sede no Luxemburgo, que concluiu, esta terça-feira, que o político de Malta saiu de forma voluntária de uma reunião com Barroso datada de 16 de outubro de 2012.

Desta forma, o recurso e o pedido de compensação exigidos por Dalli foram rejeitados. O braço de ferro polémico tem feito correr muita tinta, porque o nome de Dalli, que se diz inocente, foi envolvido num alegado caso de tráfico de influências.

O encontro entre Dalli e Barroso aconteceu depois de o gabinete de luta antifraude da União Europeia (OLAF) ter enviado um relatório ao então presidente da Comissão que indicava que Dalli tinha realizado vários encontros confidenciais e não oficiais com representantes da indústria tabaqueira.

A nova Comissão Europeia, liderada por Jean-Claude Juncker, aposta na transparência e em tornar públicas as reuniões que mantém com grupos de pressão e outras organizações.