Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Antigo ditador do Chade começa a ser julgado esta segunda-feira

Antigo ditador do Chade começa a ser julgado esta segunda-feira
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O antigo ditador do Chade, Hissène Habré, começa a ser julgado, esta segunda-feira, no Senegal. O julgamento é aberto ao público mas, segundo um dos advogados do réu, não contará com a sua presença. Para as vítimas é importante virar esta página, como explica Ginette Ngarbaye, uma sobrevivente e atual secretária da Associação das Vítimas dos Crimes do Regime de Hissène Habré:

“É uma luta, uma grande luta… O que quero é que isto acabe porque não quero que os meus filhos passem pelo mesmo, nem um familiar meu, nem nenhum ser humano. Aguardo o processo e que seja feita justiça.”

Uma situação inédita: um ditador africano julgado por um tribunal de outro país africano, a pedido das suas vítimas, apoiadas por associações internacionais de direitos humanos:

“É a primeira vez que o tribunal de um país, o Senegal, vai julgar o antigo líder de outro país, o Chade, por alegados crimes contra os direitos humanos. E, neste caso, 25 anos depois. Isto é o resultado de uma campanha das vítimas de Hissène Habré, foram elas que arquitetaram isto e são elas as protagonistas”, adianta o porta-voz da Human Rights Watch, Reed Brody.

Hissène Habré é acusado de responsabilidade em 40 mil assassinatos políticos e mais de 200 mil casos de tortura enquanto esteve no poder, de 1982 e 1990. Uma centena de vítimas testemunha no julgamento – num tribunal, excecional, criado por acordo entre a União Africana e as Nações Unidas – e que pode durar três meses.