EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Kerry garante no Congresso que o Irão vai continuar sob pressão

Kerry garante no Congresso que o Irão vai continuar sob pressão
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O secretário de Estado norte-americano esteve esta terça-feira no Congresso, em Washington, para esclarecer a Comissão dos Negócios Estrangeiros da

PUBLICIDADE

O secretário de Estado norte-americano esteve esta terça-feira no Congresso, em Washington, para esclarecer a Comissão dos Negócios Estrangeiros da Casa dos Representantes sobre o recente acordo nuclear celebrado entre o grupo P5+1 e o Irão. A oposição do Presidente Obama, os Republicanos, mas não só, revelam-se desconfiados face às intenções de Teerão perante o acordado levantamento das sanções.

O líder Republicano da Comissão, Ed Royce, advertiu que o acordo ratificado permite ao Irão reforçar os cofres, atingidos pelas sanções que agora deverão ser levantadas, e poderá ainda enfraquecer Washington perante Teerão. O líder Democrata da mesma Comissão, Eliot Engel, também identificou alguns dados preocupantes no acordo.

John Kerry, ladeado pelo Secretário do Tesouro Jack Lew e pelo Secretário da Energia Ernest Moniz, garantiu perante os Representantes que Teerão vai continuar sob apertado escrutínio.

Good to join my Cabinet</a> colleagues <a href="https://twitter.com/ErnestMoniz">ErnestMoniz & Jack Lew to discuss the facts of TheIranDeal</a> before <a href="https://twitter.com/hashtag/SFRC?src=hash">#SFRC</a>. <a href="http://t.co/YgAK65upjL">pic.twitter.com/YgAK65upjL</a></p>&mdash; John Kerry (JohnKerry) 23 julho 2015

O secretário de Estado explicou aos Representantes que o Irão vai manter-se “sob enormes restrições, no que toca a inspeções e a prestar contas sobre a investigação nuclear que realizar mas também sobre outras as atividades que não envolvam material nuclear” e que possam vir a contribuir de alguma forma para o desenvolvimento de algum tipo de arma nuclear.

Here's the difference between an #IranDeal and no deal → http://t.co/HjNGpvCjxc cc: TXRandy14</a> <a href="http://t.co/I2zTUEfDml">pic.twitter.com/I2zTUEfDml</a></p>&mdash; The Iran Deal (TheIranDeal) 28 julho 2015

John Kerry defendeu ainda que a assinatura norte-americana neste acordo com o Irão era essencial para que os Estados Unidos não ficassem isolados face aos restantes signatários do grupo 5+1. “Se nos afastássemos, afastávamo-nos sozinhos. Os nossos parceiros não se manteriam connosco, queriam evitar as duras sanções multilaterais que acabaram por trazer o Irão para a mesa das negociações”, explicou o chefe da diplomacia da administração Obama.

.TheIranDeal</a> helps the world by preventing <a href="https://twitter.com/hashtag/Iran?src=hash">#Iran</a> from getting nuclear weapon. It deserves the support of Congress. <a href="http://t.co/hYJ6wTtTB5">pic.twitter.com/hYJ6wTtTB5</a></p>&mdash; John Kerry (JohnKerry) 23 julho 2015

Tanto Republicanos como Democratas expressaram ainda preocupação com os quatro norte-americanos mantidos sob detenção em prisões iranianas. Kerry garantiu manter “contacto direto” com Teerão para resolver a situação destes quatro norte-americanos.

Outras preocupações face ao Irão prendem-se com o apoio a grupos em guerra com aliados americanos. “O Irão apoia o Hamas, o Hezbollah e os Houthi, e estas são apenas as organizações que começam com a letra ‘H’”, afirmou o Representante Brad Sherman, Democrata pelo círculo da Califórnia.

A delegação da administração Obama insistiu que o acordo celebrado representa uma melhor forma de evitar que o Irão desenvolva armas nucleares ao invés da aplicação de mais sanções ou iniciativas militares.

.TheIranDeal</a> is not based on trust. It is based on hard science and unprecedented monitoring and verification. <a href="http://t.co/YBi95K7j5n">pic.twitter.com/YBi95K7j5n</a></p>&mdash; Ernest Moniz (ErnestMoniz) 28 julho 2015

Kerry, Lew e Moniz já haviam tentado esclarecer o acordo perante o Senado na quinta-feira. Ainda esta semana é esperado que a secretária da Defesa, Ash Carter, se dirija também aos legisladores norte-americanos.

Controlado pelos Republicanos, o Congresso tem até 17 de setembro de apoiar, rejeitar ou abster-se face ao acordo nuclear com o Irão. A rejeição impediria Obama de levantar a maior parte das sanções americanas sobre Teerão e que representam uma parte essencial do acordo alcançado, mas o Presidente já avisou que vetará uma eventual rejeição.

.JohnKerry</a>: Sob o <a href="https://twitter.com/hashtag/IranDeal?src=hash">#IranDeal</a>, o Irã fica permanentemente impedido de obter armas nucleares: <a href="http://t.co/WlO3SyhRB2">http://t.co/WlO3SyhRB2</a></p>&mdash; USA em Português (USAemPortugues) 28 julho 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mogherini visita Irão para lançar implementação do acordo nuclear

Câmara dos Representantes aprova prolongamento orçamental

Joe Biden recebe Ursula von der Leyen e Charles Michel na Casa Branca