EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ministros europeus decidem reforçar segurança nos comboios

Ministros europeus decidem reforçar segurança nos comboios
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os Ministros do Interior da Europa querem que sejam aplicadas novas medidas de segurança nos comboios internacionais de longa distância. Reunidos

PUBLICIDADE

Os Ministros do Interior da Europa querem que sejam aplicadas novas medidas de segurança nos comboios internacionais de longa distância.

Reunidos este sábado em Paris para debater a segurança na Europa, depois do atentado terrorista falhado ao comboio de alta velocidade Thalys que fazia a ligação entre Paris e Amesterdão, anunciaram a criação de patrulhas multinacionais, o reforço do controlo de bagagens e a utilização de bilhetes com os nomes dos passageiros nos comboios.

Uma declaração comum divulgada no final da reunião pede que a Comissão Europeia reforce a legislação sobre armas de fogo e que os serviços de informações intensifiquem a cooperação.

O ministro do Interior francês Bernard Cazeneuve, apelou a uma maior colaboração entre os transportadores e as forças da ordem dos países europeus.

Defendendo “a necessidade urgente de estabelecer um registo europeu de nomes dos passageiros, que corresponda à orientação geral do Conselho da União Europeia”, Cazeneuve sublinhou que esta medida permitará “garantir uma proteção sólida dos dados, afim de podermos detetar rapidamente indivíduos perigosos que penetrem ou transitem nos nossos territórios”.

A França, Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Holanda e Suíça consideram ainda “indispensável realizar operações de controlo simultâneas e coordenadas em determinadas rotas”, disse ainda Cazeneuve.

O objetivo é proteger os passageiros e identificar os terroristas, mas como garantir a segurança na Europa sem atropelar os direitos dos cidadãos?

O ministro do Interior alemão Thomas de Maiziere lembrou que um controle generalizado das viagens ferroviárias é tecnicamente impossível e que significaria uma cedência ao terrorismo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navio de cruzeiro de luxo resgata 68 migrantes encontrados à deriva no mar nas Ilhas Canárias

Balcãs: autoridades pedem precauções à população perante temperaturas de 40 graus

Calor, chuva e tempestades assolam Europa