This content is not available in your region

Rota dos Balcãs sob pressão, FYROM recebe número recorde de refugiados

Access to the comments Comentários
De  João Peseiro Monteiro  com Reuters, AFP, EFE
euronews_icons_loading
Rota dos Balcãs sob pressão, FYROM recebe número recorde de refugiados

O número de refugiados que cruza a rota dos Balcãs é cada vez maior. Esta terça-feira atracou no porto do Pireu, em Atenas, mais um ferry boat repleto de deslocados. O navio zarpou de Lesbos, onde permanecem cerca de 20 mil refugiados que tentam embarcar para o continente. No total, as ilhas gregas albergam atualmente mais de 30 mil pessoas desesperadas.

A Antiga República Jugoslava da Macedónia (FYROM) é a etapa seguinte neste longo périplo. Esta terça-feira chegaram ao país sete mil pessoas, um número recorde.

“Há um mês que comecei esta viagem… um mês depois ainda estou no caminho” – explica um migrante do Afeganistão.

À Sérvia chegam diariamente entre dois a três milhares de refugiados, informaram a autoridades de Belgrado. A maioria vem do vizinho do sul, mas o número dos que entram no país via a Bulgária está a aumentar.

À chegada à Hungria os refugiados são obrigados a esperar em Roszke pela autorização da polícia para acederem a um centro de registo. Mas as condições são péssimas no campo de milho transformado em campo improvisado.

Leila tem 45 anos e era advogada na Síria. Depois de se meter ao caminho, lança agora um aviso: “Não venham por esta rota, é muito perigosa. Eu vejo a morte em todo o lado.”

Muitos, cansados de esperar, tentam furar o cordão policial e fazem-se à estrada, a pé, rumo a Budapeste, onde esperam apanhar um comboio que os leve até ao destino sonhado.