Egito perdoa e liberta jornalistas

Egito perdoa e liberta jornalistas
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dois jornalistas da Al Jazeera foram libertados, depois de o presidente do Egito ter concedido uma amnistia a 358 prisioneiros. Mohammed Fammy e

PUBLICIDADE

Dois jornalistas da Al Jazeera foram libertados, depois de o presidente do Egito ter concedido uma amnistia a 358 prisioneiros. Mohammed Fammy e Baher Mohammed foram detidos em 2013 e condenados a três anos de prisão no mês passado, acusados de difundirem notícias falsas e efetuarem uma cobertura parcial.

“Vou continuar a lutar pela liberdade de expressão. Na cela da prisão estive a trabalhar numa carta que vou apresentar ao Sindicato de Jornalistas do Egito e à presidência do país, para melhorar a liberdade de imprensa para os jornalistas egípcios e estrangeiros que trabalham no Egito”, afirmou Mohamed Fahmy.

O jornalista australiano Peter Greste, que também trabalhava para a Al Jazeera, foi outro dos abrangidos pela amnistia, mas já tinha sido deportado para o país natal.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Arranca novo julgamento dos quatro egípcios acusados de matar estudante italiano Giulio Regeni

Londres avalia pedido de recurso contra extradição de Assange

Madeira. Arguidos saem em liberdade com termo de identidade e residência