EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Síria: Rússia e EUA assinam acordo para evitar incidentes aéreos

Síria: Rússia e EUA assinam acordo para evitar incidentes aéreos
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP / REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Rússia e os Estados Unidos assinaram um protocolo com o objetivo de evitar incidentes entre aviões de ambos os países envolvidos nas distintas

PUBLICIDADE

A Rússia e os Estados Unidos assinaram um protocolo com o objetivo de evitar incidentes entre aviões de ambos os países envolvidos nas distintas operações militares contra insurgentes na Síria. Ambas as partes frisaram, no entanto, que o memorando não muda em nada as respetivas posições a respeito do regime de Bashar al-Assad.

O vice-ministro russo da Defesa, Anatoly Antonov, frisou que “a assinatura do documento não altera a posição da Rússia, cujas forças militares operam na Síria a pedido das autoridades legítimas do país, enquanto a projeção de força dos Estados Unidos e da coligação contra o Estado Islâmico liderada por Washington (…) representa uma negligência das leis internacionais”.

O porta-voz do Pentágono, Peter Cook, disse, por seu lado, que “este Memorando de Entendimento não constitui uma cooperação ou apoio às políticas e ações da Rússia na Síria. Longe disso: [os Estados Unidos] continuam a acreditar que a estratégia da Rússia na Síria é contraprodutiva e o seu apoio ao regime de Assad só vai piorar a guerra civil”.

Moscovo afirma ter por alvo os extremistas do Estado Islâmico e outros grupos “terroristas” ativos na Síria, mas a maioria dos 370 mortos nos raides aéreos russos conduzidos nas últimas três semanas, eram rebeldes que combatiam o regime sírio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cinco perguntas sobre os ataques aéreos da Rússia na Síria

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos