EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

EUA: Encontradas armas e explosivos na casa dos alegados atiradores de San Bernardino

EUA: Encontradas armas e explosivos na casa dos alegados atiradores de San Bernardino
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É para já uma das poucas certezas: as autoridades acreditam que o tiroteio no Inland Regional Center, na cidade californiana de San Bernardino, foi

PUBLICIDADE

É para já uma das poucas certezas: as autoridades acreditam que o tiroteio no Inland Regional Center, na cidade californiana de San Bernardino, foi planeado. Sobretudo depois de terem encontrado em casa e no carro alugado pelo casal de atiradores um vasto arsenal de armas, bombas e material explosivo.

Tudo o resto ainda está a a ser investigado. Não se sabe se haverá mais alguém envolvido no ataque ao centro de pessoas com deficiências fisicas e mentais. Não se conhecem os motivos do tiroteio que ocorreu na quarta-feira.
Nesta altura está confirmada a identidade dos dois atiradores: Syed Rizwan Farook, de 28 anos, e Tashfeen Malik, de 27. Os dois deixaram o filho, um bebé de seis meses na casa da avó antes do ataque.

Ao que tudo indica, o atirador, Syed Rizwan Farook terá estado na festa de Natal anual dos trabalhadores do departamento onde trabalha. Mas terá saído zangado, depois de uma discussão. Quando voltou estava armado e acompanhado pela mulher, Malik, os dois abriram fogo. O ataque provocou pelo menos 14 mortos e 21 feridos. A identidade das vítimas também já foi divulgada.

Na tradicional cerimónia de inauguração da iluminação de Natal, na Casa Branca, o presidente norte-americano voltou a falar sobre este caso. “Este é um dos momentos mais bonitos do ano mas não podemos esquecer os nossos compatriotas cujos corações estão mais “pesados” esta noite. Aqueles que perderam os entes queridos, sobretudo em San Bernardino, na Califórnia. A perda deles é também a nossa” lembrou Obama.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A discussão sobre o porte de armas

Governo australiano saúda libertação de Julian Assange

Netanyahu diz que envio de armamento dos EUA diminuiu e admite fim da "fase intensa" dos combates