A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Ferrari com pouco turbo na estreia bolsista

Ferrari com pouco turbo na estreia bolsista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Neste primeiro dia de abertura em 2016, a bolsa de Milão vestiu-se com as cores da Ferrari, para celebrar a primeira cotação da marca do cavalinho rampante.

Isto foi, sobretudo, uma operação financeira para consolidar a dívida da Fiat Chrysler, que pode agora encontrar um parceiro sem abdicar da Ferrari.

A Ferrari autonomizou-se do grupo Fiat Chrysler no ano passado. Esta cotação na bolsa vem reforçar a independência face à antiga casa-mãe, embora a família Agnelli, principal acionista da Fiat, continue também a ser a maior investidora na Ferrari: “Esta cisão ratifica, formalmente, a independência que a Ferrari sempre teve, mesmo fazendo parte do grupo. É uma independência operacional e, em parte, financeira, mas necessária para manter o caráter único dos modelos da marca Ferrari”, disse o presidente da Ferrari e da Fiat, Sergio Marchionne.

As ações da Ferrari estiveram a descer neste primeiro dia de cotação, contagiadas pela tendência negativista dos mercados em todo o mundo. No entanto, a descida nos papéis da Fiat Chrysler foi ainda mais acentuada: “A Ferrari não precisava de estar cotada em bolsa. Isto foi, sobretudo, uma operação financeira para consolidar a dívida da Fiat Chrysler, que pode agora encontrar um parceiro sem abdicar da Ferrari”, diz o analista Edoardo Liuni.

Segundo as condições do spin-off decidido no ano passado, 10% do capital da Ferrari fica nas mãos da família fundadora, 10% foi colocado em bolsa nos Estados Unidos e os restantes 80%, dos quais uma parte está agora na bolsa de Milão, foram distribuídos pelos acionistas da Fiat Chrysler, que recebem uma ação da Ferrari por cada dez da antiga casa-mãe.