A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Aramco admite privatizar parte do "upstream" e do "downstream"

Aramco admite privatizar parte do "upstream" e do "downstream"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A empresa pública petrolífera da Arábia Saudita, a Aramco, está a estudar a privatização de parte do capital, admitindo abrir a companhia de alto e baixo, mas de forma comedida.

De início, a maior produtora de petróleo do Mundo, com reservas de mais de 260 mil milhões de barris, admitiu estar a ponderar essa abertura ao público através de algumas subsidiárias de “downstream”, isto é, das operações de logística e distribuição.

Entretanto, o presidente da Aramco admitiu ao Wall Street Journal, que a abertura poderá passar também pelo “upstream”, isto é, pelas operações de exploração e produção de petróleo.

A confirmar-se a entrada em bolsa — o que aconteceria primeiro a nível local, revelou Khalid al-Falih —, está na calha a primeira empresa cotada avaliada em um bilião de dólares — quase o dobro da atual mais valiosa, a Apple (540 mil milhões de dólares).