EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cristina e a Monarquia espanhola no banco dos réus

Cristina e a Monarquia espanhola no banco dos réus
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A irmã do Rei Felipe VI pode ser condenada a quatro anos de prisão e uma multa de mais de um milhão de euros.

PUBLICIDADE

Uma princesa no banco dos réus: Começou o julgamento da Infanta Cristina de Espanha, em Palma de Maiorca.

A irmã do Rei Felipe VI é acusada de dois crimes de fraude, pela não-declaração de despesas pagas pela empresa que detinha com o marido Iñaki Urdangarín.

A pena pedida pela acusação é de quatro anos de prisão e uma multa de mais de um milhão de euros. Pode também ficar impedida de beneficiar da segurança social durante seis anos.

É a primeira vez, desde a restauração da Monarquia, que um membro da Família Real espanhola se senta no banco dos réus.

Muitos defensores da República aproveitaram o pretexto para atacar a monarquia: “É óbvio que a Espanha está pronta para avançar para um Estado republicano. É o que as pessoas querem. Se tivéssemos hoje um referendo, a República venceria”, diz Miguel Mascaro, ativista republicano que participava no protesto frente ao tribunal.

O Rei recusa a ideia de um referendo, uma vez que a Constituição de 1978, que estabelece a Monarquia constitucional moderna, foi já aprovada em referendo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Russos assinalam 100 anos sobre execução do último czar

Herdeira da Coroa de Espanha jurou respeito pela Constituição

Sarah Fergusson, duquesa de York, diagnosticada com cancro de pele