A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Antigas escravas sexuais filipinas exigem justiça

Antigas escravas sexuais filipinas exigem justiça
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As filipinas usadas como escravas sexuais pelo exército nipónico continuam à espera de justiça, mais de 70 anos após o fim da II Guerra Mundial.

A visita do imperador japonês a Manila está, por isso, a servir para que a causa das chamadas “mulheres de conforto” não seja esquecida.

As relações diplomáticas entre o Japão e as Filipinas foram retomadas há seis décadas. No entanto, a Lila Pilipina, associação de defesa das vítimas diz que Tóquio não apresentou desculpas ou tentou chegar a um acordo.

Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros filipino já fez saber que a questão não vai ser abordada durante a visita por considerar que o imperador Akihito não é a pessoa indicada para a resolver.

Opinião diferente têm as pessoas que se manifestaram junto ao Palácio Presidencial de Manila. Uma antiga escrava sexual lembra ao imperador que Tóquio concluiu um acordo com Seul e pergunta porque não faz o país o mesmo em relação às vítimas filipinas.

Estima-se que 200 mil mulheres tentam sido utilizadas como escravas sexuais pelos soldados nipónicos durante a ocupação entre 1941 e 1945.