EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Media britânicos dizem que ONU decidiu a favor de Julian Assange

Media britânicos dizem que ONU decidiu a favor de Julian Assange
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um comité da Organização das Nações Unidas terá decidido que Julian Assange foi “detido arbitrariamente”. A informação está a ser avançada por meios

PUBLICIDADE

Um comité da Organização das Nações Unidas terá decidido que Julian Assange foi “detido arbitrariamente”. A informação está a ser avançada por meios de comunicação britânicos que acrescentam que, para já, não há confirmação oficial.

Julian Assange, tinha garantido, esta manhã, através da página do Wikileaks no Twitter, que se entregaria às autoridades britânicas se as Nações Unidas não decidissem a seu favor.

Assange: I will accept arrest by British police on Friday if UN rules against me. More info: https://t.co/Mb6gXlz7QSpic.twitter.com/mffVsqKj5w

— WikiLeaks (@wikileaks) 4 fevereiro 2016

O Fundador do WikiLeaks vive, há mais de três anos, na embaixada do Equador em Londres, enquanto se bate contra uma ordem de extradição sueca. Assange é acusado, neste país, de violação e pediu a intervenção da ONU. A decisão é aguardada com expectativa:

“A decisão está para divulgada ou para ser tomada, algo assim, o que ouvi foi que a decisão pode ter sido já entregue aos países envolvidos e que será tornada pública dentro de poucos dias. É por isso que a expectativa é grande”, afirma o ministro dos Negócios Estrangeiros do Equador, Ricardo Patino.

Julian Assange defende que os processos levantados contra si na Suécia têm como fim último a sua extradição para os Estados Unidos. No centro da polémica está a WikiLeaks, “inimiga número 1” da administração norte-americana desde que tornou públicos documentos que comprometem os EUA.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tribunal de Londres decide que Assange pode recorrer da ordem de extradição para os EUA

Advogados dos EUA alegam que revelações de Assange colocaram vidas em risco

Londres avalia pedido de recurso contra extradição de Assange