This content is not available in your region

Uber no banco dos réus em França

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com APTN
Uber no banco dos réus em França

O presidente da filial francesa da Uber e o diretor para a Europa Ocidental da empresa americana de aluguer de carros com motorista estão no banco dos réus, em França.

O que nos interessa é o capital da Uber, que neste momento pesa mais que o da General Motors. Esta gente deveria pagar à República Francesa.

Thibaud Simphal e Pierre-Dimitri Gore-Coty podem ser condenados a cinco anos de prisão e multas de 300.000 euros por causa da aplicação Uber Pop, entretanto suspensa, acusada de concorrência desleal aos táxis.

O lóbi dos taxistas acusa ainda a Uber de fugir ao fisco: “O que nos interessa é o capital da Uber, que neste momento pesa mais que o da General Motors. Esta gente deveria pagar à República Francesa, para que possamos manter o nosso sistema económico e social. É isso o mais importante. Não estamos contra os motoristas, estamos contra as plataformas americanas que não respeitam a lei em França”, diz Ahmed Senbel, presidente da Federação Nacional de Taxistas Independentes.

A Uber Pop foi suspensa depois de protestos em massa por parte os taxistas. A aplicação móvel permitia que qualquer pessoa com um automóvel pudesse transportar passageiros para a empresa. Se esta versão “low-cost” foi desativada, a Uber continua a operar em França e muitos outros países, incluindo Portugal, gerando a ira dos taxistas.