Última hora
This content is not available in your region

Olympiacos marca golo de solidariedade com refugiados

Olympiacos marca golo de solidariedade com refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

Um golo na solidariedade. A equipa de futebol do campeão grego, o Olympiacos, esteve no porto de Atenas, agora também conhecido como “nova Idomeni” (referência ao campo de refugiados no norte do país), para dar apoio alimentar, material e também moral aos cerca de 6 mil migrantes que ali se encontram.

Desde o início de março que o clube tem ajudado com a distribuição de milhares de refeições, agasalhos e brindes.

Esta sexta-feira, estrelas como Estaban Cambiasso e Arthur Mausuaku ajudaram.

“A situação é terrível. Penso que é muito delicada e felizmente existem pessoas disponíveis para ajudar, como é o caso do presidente do clube. Seguramente, existem muitas outras pessoas a ajudar para que a realidade destas pessoas seja menos má”, explicou Estaban Cambiasso.

Arthur Mausuaku, afirmou que “o Olympiacos é um grande clube com um grande coração e eu tiro o chapéu ao presidente, porque ele ajuda toda a gente, venham de onde vierem. É um grande prazer poder participar nestas ações e, honestamente, é também muito bom para o clube e para a sua imagem”.

Entre os milhares de pessoas, há talentos que sobressaem e que fazer pensar em oportunidades para aqueles que procuram concretizar o sonho de uma vida estável em paz.

“Todos nos sentimos incomodados com o que se está a passar. É por isso que no Olympiacos queremos ajudar nesta crise e tentamos ajudar o máximo que podemos, seja com o que for, roupa ou comida, que estas crianças tanto precisam”, revelou Kostas Fortounis, outro futebolista.

Na ajuda, para além dos mantimentos, há igualmente o reforço da moral para quem foi expulso pela guerra e atravessou um mar em busca da esperança.

O correspondente da Euronews, Ioannis Karagiorgas, explica que “desde que os refugiados começaram a chegar ao porto do Pireu, o clube da cidade, o Olympiacos tem-lhes dado apoio. Os campeões gregos já ofereceram meio milhão de refeições, roupas e bolas às crianças prometeram estar aqui durante o tempo que for necessário”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.