Última hora
This content is not available in your region

Parlamento francês chumba moção de censura ao governo

Parlamento francês chumba moção de censura ao governo
Tamanho do texto Aa Aa

O governo francês sobreviveu a uma moção de censura, na Assembleia Nacional, apresentada pelos partidos do centro-direita. Os movimentos à esquerda do Partido Socialista apoiaram também esta tentativa de derrubar o governo, depois de o executivo ter feito passar a nova lei do trabalho sem votação no parlamento, recorrendo ao mecanismo conhecido como 49-3.

O primeiro-ministro Manuel Valls voltou a defender a lei: Tal como o Presidente da República lembrou esta manhã, a lei do trabalho é uma lei de progresso social e uma reforma indispensável para este país. Tenho uma convicção: Não vou deixar cair a esquerda de governo, a social-democracia francesa. Era altura de fazer esta clarificação”.

A lei do trabalho e a passagem à força levaram a manifestações a todas as principais cidades de França: “Se não fosse esta história do 49-3, nem sequer estaria aqui. É cansativo ir a tantas manifestações. Primeiro a lei Macron, sobre a economia, agora a lei El Khomri, sobre o trabalho. Não sei o que lhes está a passar pela cabeça”, diz uma manifestante.

Depois da lei que desregula vários aspetos da economia, da autoria do ministro Emmanuel Macron, esta é a segunda vez em dois anos que o governo recorre ao mecanismo 49.3. A nova lei do trabalho é contestada tanto à direita como à esquerda, incluindo em certos setores do Partido Socialista.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.