EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Hezbollah acusa Israel da morte de líder militar

Hezbollah acusa Israel da morte de líder militar
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com Reuters, AFP, AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mustafa Amine Badreddine era procurado pelo Tribunal da ONU para o Líbano.

PUBLICIDADE

O Hezbollah aponta o dedo a Israel pela morte de Mustafa Amine Badreddine, líder militar do movimento xiita libanês. Badreddine foi morto aos 55 anos numa explosão perto do aeroporto de Damasco, na Síria.

Esta sexta-feira, antes do funeral, várias altas figuras do Hezbollah foram dar as condolências à família.

Hussein Haj Hassan é o ministro libanês da Indústria e também membro do Hezbollah: “A mensagem é que este comandante mártir juntou-se a todos os líderes mártires. O martírio dele traz-nos força e coragem para continuarmos a lutar contra o inimigo sionista até à vitória, se Deus quiser.

Mesmo se idolatrado pelos correligionários, Badreddine era tudo menos um herói para o Ocidente e mesmo para muitos setores da política libanesa e países do mundo árabe. Era procurado pelo Tribunal das Nações Unidas para o Líbano por cumplicidade na morte do antigo primeiro-ministro Rafiq Hariri. Durante a guerra do Golfo, fugiu de uma prisão no Kuwait, onde tinha sido condenado à morte por vários atentados à bomba.

Mais apparemment, ce n'est peut-être pas #Israël qui a tué en #Syrie Badreddine, cadre de haut rang du #Hezbollahhttps://t.co/u2bmIFqda9

— Jean-Marc LAFON (@Aquila2407) 13 mai 2016

Long portrait (en anglais) de Badreddine qui vient d'être tué en Syrie : https://t.co/UnaptJK7ou#hezbollah#liban

— Anais Renevier (@anais_renevier) 13 mai 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Israel ataca unidade de defesa aérea no sul da Síria com mísseis

Embaixador iraniano na Síria promete retaliação após alegado ataque israelita destruir consulado

Ataque israelita destrói consulado iraniano em Damasco e mata alta patente militar