EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Venezuela: oposição e governo medem forças

Venezuela: oposição e governo medem forças
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na Venezuela continuam os protestos contra o governo liderado por Nicolas Maduro.

PUBLICIDADE

Na Venezuela continuam os protestos contra o governo liderado por Nicolas Maduro.

Por entre a falta generalizada de alimentos e a taxa de inflação mais elevada do mundo, muitos venezuelanos querem a realização de um referendo para afastar o presidente socialista.

Este protesto, em Caracas, contou com a presença do líder da oposição Henrique Capriles.

Nas ruas, a fome já é uma realidade. Em Caracas o jornalista da euronews recolheu alguns testemunhos: o que é que deseja para os seus filhos?

“Uma Venezuela melhor. É por isso que estou aqui. Para salvar o país. É muito triste ver o filho de alguém a passar fome”, afirmou uma manifestante idosa não identificada.

“Os venezuelanos estão desesperados e com fome. Nunca pensei que chegaríamos a este ponto. Estamos aqui porque queremos resolver estes problemas. A repressão não é importante. Só queremos que isto acabe, não por nós, mas pelas nossas crianças. Há muitos anos que o nosso futuro está comprometido”, adiantou um jovem residente de Caracas que participou no protesto.

A polícia respondeu aos manifestantes com recurso à violência.

A oposição pretende a realização de eleições ainda este ano. Se Maduro perder o referendo e afastar-se do governo terão lugar novas eleições presidenciais. No entanto, se Maduro sair apenas em 2017, será substituído pelo vice-presidente assegurando assim a continuidade do movimento iniciado pelo anterior presidente Hugo Chavez.

A partir da capital venezuelana, o jornalista da euronews Alberto de Filippis afirma:
“No início estavam aqui apenas algumas dezenas de militantes. Depressa se tornaram milhares a gritarem “Maduro vai para casa”. No final, o protesto foi dispersado pela polícia com recurso a gás lacrimogéneo”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Venezuela: protestos apesar de validação de assinaturas para referendo anti-Maduro

Venezuela: oposição volta a exigir nas ruas referendo contra Maduro

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"