Última hora
This content is not available in your region

Assassino de Orlando disse ser "soldado islâmico"

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira com Reuters, AP, The Intercept
euronews_icons_loading
Assassino de Orlando disse ser "soldado islâmico"
Tamanho do texto Aa Aa

O autor do massacre de Orlando identificou-se como “soldado islâmico” e ameaçou detonar um carro carregado com explosivos. Essas são algumas das informações novas que ficaram a ser conhecidas com a divulgação das gravações das chamadas de Omar Mateen para o 911, o número de emergência norte-americano.

“A cronologia dos acontecimentos, baseada nas comunicações por rádio, mostra claramente que a polícia chegou ao clube no espaço de minutos e abriu fogo contra o suspeito. Esse pormenor é importante, porque fez com que ele tenha parado imediatamente o fogo e se tenha barricado nas casas de banho com reféns”, disse à imprensa John Mina, chefe da polícia de Orlando.

O ataque a um clube gay, na semana passada, fez 49 mortos. Há também várias dezenas de feridos, incluindo vários em estado grave.

Outro pormenor importante retirado das gravações é que Mateen falou em árabe com o operador do 911 e pediu o fim dos bombardeamentos americanos às posições do Daesh no Iraque e na Síria.

O FBI estará ainda a esconder detalhes? Leia aqui.