Última hora
This content is not available in your region

O "verão quente" do Banco de Inglaterra

O "verão quente" do Banco de Inglaterra
Tamanho do texto Aa Aa

O Banco de Inglaterra (BoE) poderá avançar com mais estímulos à economia britânica durante o verão. A hipótese foi evocada pelo governador Mark Carney, na segunda declaração após a vitória do Brexit no referendo da semana passada.

As perspetivas económicas deterioraram-se e é provável que seja necessária uma flexibilização da política monetária durante o verão.

Carney reiterou que estão prontos a injetar 250 mil milhões de libras de fundos adicionais através dos instrumentos financeiros existentes. E acrescentou: “As perspetivas económicas deterioraram-se e é provável que seja necessária uma flexibilização da política monetária durante o verão. A Comissão de Política Monetária fará uma análise da situação a 14 de julho e, em agosto, haverá um estudo económico completo, acompanhado de novas previsões. Em agosto, discutiremos também sobre os instrumentos disponíveis para implementar estímulos monetários se for necessário”.

Os investidores antecipam um corte nas taxas de juro e, por isso, as palavras de Mark Carney fizeram subir as bolsas europeias. A praça londrina liderou a subida com ganhos de quase 2,3%.

O efeito sobre a libra foi o inverso. A divisa britânica apagou os ganhos e recuou quase 1%. Vale 1,32 dólares, perto do mínimo de 31 anos fixado na segunda-feira face à moeda norte-americana.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.