Atirador de Dallas: Militar reservista de 25 anos queria "matar polícias" e "brancos"

Atirador de Dallas: Militar reservista de 25 anos queria "matar polícias" e "brancos"
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um dos suspeitos do ataque de Dallas teria afirmado que queria matar polícias e pessoas “brancas”.

PUBLICIDADE

Um dos suspeitos do ataque de Dallas teria afirmado que queria matar polícias e pessoas “brancas”.

A informação foi avançada pelo chefe da polícia de Dallas, David Brown, que confirmou que o homem foi abatido pelas autoridades após uma troca de tiros de mais de três horas.

Segundo a imprensa norte-americana, o suspeito de 25 anos teria sido identificado como Micah Xavier Johnson, natural de Mesquite, no Texas, e que seria um reservista do exército norte-americano. Johnson teria também combatido, no passado, no Afeganistão.

NBC News' Jim Miklaszewski confirms that the dead Dallas shooter Micah Xavier Johnson served in the U.S. Army: pic.twitter.com/S49TUVJODW

— Tom Winter (@Tom_Winter) July 8, 2016

Suspected Dallas sniper shooter Micah Xavier Johnson had no prior criminal record, no terrorist ties. pic.twitter.com/Dotw6DmeCN

— Brian New (@BrianNewCBS) July 8, 2016

“Nós não podemos entrar na cabeça do atacante. Nós negociámos com esta pessoa, que parecia lúcida durante as conversações – ele queria matar polícias. Disse também que queria matar pessoas brancas. Afirmou estar furioso com a campanha e a associação ‘Black Lives Matter’. Nada parecia fazer muito sentido, e nada representa uma razão legítima para levar a cabo este ataque. Tudo o resto é apenas pura especulação sobre as suas motivações. Sabemos o que disse aos negociadores”, afirmou o chefe da Polícia de Dallas, durante uma conferência de imprensa esta manhã.

Segundo a polícia, o suspeito seria “um lobo solitário”, sem ligações a grupos terroristas. Outros três suspeitos encontram-se ainda detidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA: Polícias mortos em protestos contra violência policial

Dallas: O que sabemos até agora sobre ataque contra a polícia?

Dallas: "O ataque mais grave desde a morte de JFK"