EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Mohamed Bouhlel: O insuspeito "soldado do EI" de Nice

Mohamed Bouhlel: O insuspeito "soldado do EI" de Nice
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O camionista de nacionalidade tunisina que protagonizou o ataque de 14 de Julho em Nice teria relações, “com pessoas em contacto com islamitas radicais”.

PUBLICIDADE

O camionista de nacionalidade tunisina que protagonizou o ataque de 14 de Julho em Nice teria relações, “com pessoas em contacto com islamitas radicais”.

A informação é avançada por uma fonte próxima da investigação ao ataque, citada pela agência France Presse, quando a polícia francesa tenta averiguar os eventuais cúmplices de Mohamed Bouhlel de 31 anos de idade.

O camionista, residente em Nice e em processo de divórcio, teria sofrido uma profunda depressão em 2000, com problemas de alcoolismo e algumas detenções por violência, sem nunca ter sido investigado por relações com meios islamitas.

Um vizinho do suspeito garante:

“Tudo o que sei é que este homem não tinha nada a ver com os islamitas. Era alguém que bebia, fumava, roubava, comia, trabalhava. Estava separado da mulher e vivia sozinho. Andava de bicicleta, ia à praia, como toda a gente. Fumava haxixe e roubava bicicletas”.

Na cidade natal do suspeito, em Msaken, no nordeste da Tunisia, a família de Bouhlel afirma-se chocada com a situação, depois do grupo Estado Islâmico ter reivindicado a ação do, “soldado do EI”.

Segundo, Jaber, um dos irmãos do suspeito:

“Mohamed tinha um emprego, esteve casado com uma prima durante nove anos, foi para França trabalhar como motorista, tinha duas filhas e um filho. Nunca me disse que iria fazer uma coisa destas, é inacreditável”.

Segundo a imprensa britânica , Bouhlel teria enviado clandestinamente mais de 100 mil euros à família, dias antes de ser abatido pela polícia após atropelar centenas de pessoas na marginal de Nice.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia

Francês detido no Irão por participar em protestos após a morte de Mahsa Amini foi libertado