A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Rio2016: Os últimos Jogos Olímpicos do homem mais rápido do mundo

Rio2016: Os últimos Jogos Olímpicos do homem mais rápido do mundo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro serão os últimos do homem mais rápido do mundo.

O velocista jamaicano, Usain Bolt, venceu os 100 metros, os 200 metros e estafeta 4×100 metros, em Pequim, em 2008, e quer voltar a tentar a proeza.

Bolt é o único atleta na história do atletismo a vencer as três modalidades, em dois Jogos consecutivos e a conquistar seis medalhas de ouro em provas de velocidade. Sagrou-se onze vezes campeão do mundo.

O jamaicano quer deixar a fasquia bem alta.

“Esse é um dos meus maiores objetivos. Penso que isso é o mais difícil de fazer, de bater o recorde do mundo, e tentar correr em menos de 19 segundos. É esse o meu foco. Por isso, vou dar o meu melhor. Sim, para mim este será o fim dos meus dias Olímpicos, definitivamente. Assim, teria feito o que quis, teria colocado a fasquia tão alta quanto quis e resume-se tudo a continuar a seguir em frente, fazer, apenas, mais uma temporada e vamos ver o que o futuro me reserva”, diz o jamaicano.

Quanto ao futuro pessoal, Usain Bolt, não sabe ainda como será mas o homem mais rápido do mundo espera, no entanto, que o desporto seja mais “limpo”, numa referência clara ao escândalo de doping que envolveu o Comité Olímpico Russo.

Usain Bolt, corre o risco de perder uma das suas medalhas de ouro na estafeta por controlo positivo a um dos elementos da equipa, Nesta Carter, nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.