Navio norte-americano alvejado de novo com mísseis ao largo do Iémen

Navio norte-americano alvejado de novo com mísseis ao largo do Iémen
De  Francisco Marques com USNI
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O USS Mason voltou a ter de implementar medidas defensivas e uma vez mais não foi atingido, mas o Pentágono ameaçou reagir às ameaças no tempo e da forma certas.

PUBLICIDADE

O navio de guerra norte-americano USS Mason voltou a ser alvejado esta quarta-feira a partir do território no Iémen controlado pelos rebeldes xiitas “huthis”, revelaram fontes do Pentágono.

Foi o segundo incidente do género em quatro dias. Tal como no domingo, dois mísseis voltaram a ser disparados, esta quarta-feira, por volta das 18:00 horas locais (menos duas horas em Lisboa). Uma vez o navio norte-americano teve de adotar medidas defensivas e não foi atingido, mas não ficou claro se pela ação das medidas defensivas ou porque os projéteis falharam o alvo.

U.S. to Respond in ‘Appropriate Manner’ After New Yemen Missile Attack on USS Mason https://t.co/2VxnBBtqh5

— U.S. Naval Institute (@NavalInstitute) 12 de outubro de 2016

Em comunicado, o porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Peter Cook,avisou: “Aqueles que ameaçam as nossas forças devem ter ciente que os comandantes norte-americanos detêm o direito de defender os respetivos navios e nós iremos responder a esta ameaça no tempo e na forma apropriadas.”

No ataque de domingo, o Pentágono suspeita terem sido usados dois mísseis C-802, de fabrico chinês e providenciados aos rebeldes “huthis” pelo Irão. Esses dois primeiros mísseis também foram disparados desde o sul do Iémen e foram intercetados por outros dois mísseis defensivos SM-2 e por um míssil “Seasparrow” evoluído (ESSM).

Guided-missile destroyer #USSMason conducts formation exercises with the Cyclone-class patrol crafts #USSTempest & #USSSquallUS5thFleet</a> <a href="https://t.co/oQvNjN1OIv">pic.twitter.com/oQvNjN1OIv</a></p>&mdash; U.S. Fleet Forces (USFleetForces) 20 de setembro de 2016

Ambos os casos envolvendo o navio USS Mason acontecem após o ataque aéreo de sábado sobre um funeral “huthi” em Sana, capital do Iémen, no qual morreram mais de 140 pessoas e centenas ficaram feridas.

Este sangrento ataque foi apontado pelos “huthis” à coligação liderada pela Arábia Saudita, que desmentiu qualquer envolvimento no raide. Ainda assim, Washington anunciou a reavaliação do apoio que tem vindo a dar à aliança árabe no Iémen.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque aéreo contra funeral provoca centenas de mortos no Iémen

EUA avisam que não vão parar ataques contra militantes apoiados pelo Irão no Iraque e na Síria

Estados Unidos e Reino Unido realizam novo ataque contra Houthis no Iémen