Última hora

Última hora

PM italiano quer sanções para países que recusam quotas de refugiados

PM italiano quer sanções para países que recusam quotas de refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, apontou o dedo aos países que se recusam a receber refugiados e diz que esses países deveriam receber menos dinheiro da União Europeia.

É fundamental que a Itália promova uma posição dura em relação a países que fazem parte da União Europeia e receberam muito dinheiro (...) e, ao mesmo tempo, se afastam dos compromissos com a distribuição de migrantes.

Matteo Renzi Primeiro-ministro italiano

A Itália é a porta de entrada de muitos dos migrantes que atravessam o Mediterrâneo para chegar à Europa. A ilha de Lampedusa é o principal ponto de chegada.

“É fundamental que a Itália promova uma posição dura em relação a países que fazem parte da União Europeia e receberam muito dinheiro pelo facto de serem membros, receberam fundos para desenvolverem os seus territórios e, ao mesmo tempo, se afastam dos compromissos com a distribuição de migrantes”, disse o chefe do governo, no parlamento italiano.

A encabeçar a lista dos países que se recusam a cumprir as normas está a Hungria, que depois de ter erguido um muro de arame farpado nas fronteiras organizou um referendo à proposta de impor quotas de refugiados aos vários países da União.

Neste momento, a Itália acolhe 160 mil candidatos ao asilo, de cerca de 460 mil que chegaram às costas italianas desde o início de 2014.