Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Tribunal Constitucional autoriza touradas na Catalunha

Tribunal Constitucional autoriza touradas na Catalunha
Tamanho do texto Aa Aa

Quatro anos depois, as touradas voltam a ser legais na Catalunha, em Espanha, mas nem assim parece haver “via verde” para que voltem a ser organizadas corridas de touros em Barcelona. Pelo menos, essa é a posição do governo regional.

As lides de touros foram proibidas em agosto de 2010 pelo governo da comunidade autonómica da Catalunha, com implementação a partir de 2012. Dois meses depois da decisão, em outubro de 2010, foi logo interposto um recurso pelo Partido Popular no Tribunal Constitucional, em Madrid, alegando a inconstitucionalidade da proibição catalã. Mas só agora, seis anos depois, após uma carta a pedir andamento para o recurso do PP a proibição foi revista e votada.

A missiva foi assinada pelo presidente da União de Criadores de Touros de Lide, Carlos Nuñez; pelo presidente do Sindicato de Toureiros, Juan Diego Vicente; e pelo presidente da Associação Nacional de Organizadores de Espetáculos Taurinos, Manuel Martínez Erice. O trio sublinhou a “negativa repercussão” no setor pelo atraso do tribunal a rever a proibição.

Após o anúncio da aprovação por maioria da suspensão da proibição, o presidente do sindicato espanhol de toureiros mostrou-se satisfeito por voltar a ser “livre para exercer uma profissão legal e parte do património cultural de Espanha”. “Além de nos podermos defender de forma legal, agora temos uma base jurídica para defender a nossa profissão e a nossa vida, a tauromaquia”, referiu Juan Diego.

O regresso dos espetáculos taurinos a Barcelona não tem, contudo, “via verde”. O governo insiste na proibição e o vereador responsável pela gestão do património público garante que, “diga o que disser o tribunal constitucional, não vai voltar a haver corridas de touros na Catalunha.”

Josep Rull não está sozinho. Gabriel Rufían, deputado da coligação no poder, a Junts Pel Si, lança a pergunta: “porque é que, por exemplo, se respeita a decisão do parlamento nas Ilhas Canárias e na Catalunha não?” Para Rufían, esta decisão do TC é “arbitrária e selvagem.”

Há seis anos, a proibição na Catalunha de todos e quaisquer espetáculos que envolvessem touros foi celebrada pelos ativistas de direitos animais. Agora, o tribunal reverteu a decisão do governo regional e promete relançar o braço de ferro na Catalunha.