Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Slava Zaitsev: o Dior Vermelho vindo do frio

Slava Zaitsev: o Dior Vermelho vindo do frio
Tamanho do texto Aa Aa

Slava Zaitsev foi o primeiro estilista da União Soviética autorizado a ter uma marca de roupa e a mostrar uma coleção na semana de alta-costura de Paris. Mas antes de atingir a fama, viveu períodos difíceis. A infância de Slava Zaitsev foi um conjunto de obstáculos. O pai, prisioneiro de guerra na Alemanha foi enviado para um campo de concentração na Rússia. Por ser considerado filho de um “inimigo do povo”, Zaitsev foi excluído de várias escolas.

A revista francesa Vogue disse que eu era o Dior Vermelho, mas o meu patrão respondeu que a empresa tinha 60 Diors e que as palavras da revista eram exageradas. Isso aconteceu em 1965. Fiquei devastado.

Em 1956, deu os primeiros passos no mundo da moda ao instalar-se em Moscovo para estudar no Instituto do Têxtil. E, finalmente, nos anos 60, graças a coleções ousadas e coloridas, começou a ser admirado a nível internacional.

“A revista francesa Vogue disse que eu era o Dior Vermelho, mas o meu patrão respondeu que a empresa tinha 60 Diors e que as palavras da revista eram exageradas. Isso aconteceu em 1965. Fiquei devastado”, relembrou o estilista russo.

Aos 78 anos, o estilista russo continua a vibrar com o mundo da moda e pretende lançar uma nova marca de roupa que será fabricada na sua terra natal em Ivanovo, a 250 quilómetros de Moscovo.