Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Assinatura de novo acordo de paz na Colômbia

Assinatura de novo acordo de paz na Colômbia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É a segunda tentativa reduzida a acordo para pôr fim à guerra de mais de 50 anos entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o governo, assinada com uma simbólica caneta feita de uma bala.

A assinatura do texto revisto depois da rejeição da versão original em referendo foi mais do que discreta face à de Setembro, em Cartagena, com a presença de líderes de todo o mundo.

Juan Manuel Santos, Nobel da Paz deste ano, porfia naquilo que é o grande objectivo da sua presidência: “Esta nova geração que vai construir a Colômbia de amanhã, pediu-nos que lhe entregássemos um país, um país diferente daquele que nós herdámos, um país onde a violência e a morte não sejam a normalidade, um país livre das correntes do ódio e onde todos tenhamos direito à vida.”

Rodrigo Londoño, o líder das FARC, foi o segundo a assinar o acordo de 310 páginas no histórico Teatro Colón em Bogotá, agora com cerca de 50 alterações ao texto original e que pretendem corresponder ao resultado da rejeição em plebiscito: “Admiração pelos milhares de compatriotas que sairam para as ruas, praças e cidades em manifestação contra a guerra, a apoiar os fundamentos de um acordo final e a exigir a todos os intervenientes na mesa de negociações que não parassem até obter um acordo definitivo.

Há vozes críticas quanto à evitação, por parte do presidente Juan Manuel Santos, de um novo referendo, com o acordo revisto e agora assinado a ser enviado ao Congresso para aprovação.