Rússia e Turquia realizam primeira missão militar conjunta no norte da Síria

Rússia e Turquia realizam primeira missão militar conjunta no norte da Síria
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A operação foi acordada com o regime sírio e decorreu na zona de Al Bab, a nordeste de Alepo, e terá sido "altamente eficaz", revelou um porta-voz militar russo.

PUBLICIDADE

A Rússia e a Turquia anunciaram esta quarta-feira a primeira operação militar conjunta no combate a grupos terroristas no norte da Síria.

A missão decorreu em Al Bab, a nordeste de Alepo, e tinha 36 alvos definidos ao longo dos últimos dois dias pelas respetivas forças militares.

#Russia, #Turkey conducting first joint air operation against Islamic Statehttps://t.co/6U9yU9RTp6pic.twitter.com/fq5IzdPbi7

— TASS (@tassagency_en) 18 de janeiro de 2017

De acordo com o tenente general russo Sergei Rudskoi, a operação realizada com a Turquia foi acordada com o regime sírio e envolveu nove aviões da força aérea russa (quatro SU-24M, quatro SU-25 e um SU-34) e e oito da força aérea turca (quatro F-16 e quatro F-4).

A operação foi “altamente eficaz”, resumiu o porta-voz militar russo, citado pelas agencias de notícias Tass (Rússia) e Anadolu (Turquia).

A Turquia colocou-se no entanto à margem do ataque em Al Bab. Em comunicado, as forças armadas turcas informaram que apenas aviões russos bombardearam alvos do grupo terrorista autoproclamado Estado Islâmico, ao abrigo do acordo de coordenação de ataques no norte da Síria celebrado entre os dois países a 12 de janeiro.

Turkey, Russia carry out first joint air operation in Syria https://t.co/reqHXYBgHMpic.twitter.com/G4jFd8npX6

— ANADOLU AGENCY (ENG) (@anadoluagency) 18 de janeiro de 2017

Sergei Rudskoi revelou ainda que a força aérea russa prestou também apoio às forças do regime sírio, nos intensos combates desta quarta-feira contra militantes do grupo terrorista Estado Islâmico em Deir al-Zor.

O tenente-general revelou que esta cidade no leste da Síria está cercada e há risco de que a população seja massacrada pelos terroristas.

O porta-voz militar russo revelou terem sido ainda mobilizados aviões russos para a cidade histórica de Palmira, onde há informações de que o “Daesh” esteja a planear destruir mais monumentos.

#Putin briefs #Merkel, fhollande</a> on steps to implement <a href="https://twitter.com/hashtag/Syrian?src=hash">#Syrian</a> ceasefire <a href="https://t.co/H7s9IsptxK">https://t.co/H7s9IsptxK</a></p>&mdash; TASS (tassagency_en) 18 de janeiro de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Duas crianças entre os seis mortos após bombardeamentos de Assad em Idlib

Região rebelde de Idlib bombardeada após ataque em Homs

Ataque russo em zona controlada pelos rebeldes sírios mata dois civis