EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Edil de Roma convocada pela justiça por abuso de poder e falso testemunho

Edil de Roma convocada pela justiça por abuso de poder e falso testemunho
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A presidente da Câmara de Roma volta a ser alvo de uma investigação da justiça.

PUBLICIDADE

A presidente da Câmara de Roma volta a ser alvo de uma investigação da justiça.

Virginia Raggi foi convocada na terça-feira pelos tribunais no quadro de um inquérito por abuso de poder e falso testemunho.

O anúncio da convocatória para dia 30 de janeiro foi feito pela política do partido Cinco Estrelas de Beppe Grillo, na sua página pessoal do Facebook.

Em causa está a contratação de um dos seus colaboradores, Renato Marra, reponsável da pasta do Turismo e irmão do ex-chefe de pessoal da Câmara, Raffaelle Marra, detido em dezembro por corrupção.

A investigação volta a levantar suspeitas sobre a equipa da edil, dias depois da demissão da vereadora do meio-ambiente, Paola Muraro, acusada de vários delitos.

Virginia Raggi afirma-se “serena e pronta a colaborar com a justiça”, quando os juízes querem conhecer as razões da nomeação de Renato Marra.

O irmão de Renato, Raffaele, encontra-se detido desde dezembro, acusado de corrupção enquanto membro do anterior executivo camarário em 2013. Raffaele deverá ser igualmente interrogado pela justiça no mesmo inquérito que visa Raggi.

Roma, Raffaele Marra indagato per abuso d'ufficio #raffaelemarrahttps://t.co/43nDqub3rxpic.twitter.com/zOzbMTxSTV

— Tgcom24 (@MediasetTgcom24) January 24, 2017

As novas suspeitas surgem três semanas depois do partido Cinco Estrelas ter modificado o seu código ético, deixando de obrigar os responsáveis da formação a demitir-se em caso de serem visados por inquéritos judiciais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de António Costa desce do Supremo para o DCIAP

Trump paga 175 milhões de dólares para evitar apreensão de bens em caso de fraude

Antigo presidente hondurenho condenado nos EUA por conspirar com traficantes de droga