Síria: Crescem os receios de um conflito entre o regime sírio e a Turquia em al-Bab

Síria: Crescem os receios de um conflito entre o regime sírio e a Turquia em al-Bab
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois da tomada de Alepo, as forças do regime continuam a avançar para nordeste, onde militares turcos combatem o "Daesh" ao lado dos rebeldes da oposição a Assad.

PUBLICIDADE

Um conflito à parte entre turcos e sírios, poderá estar iminente na batalha por Al-Bab, no norte da Síria, contra o grupo terrorista autoproclamado Estado Islâmico.

O exército sírio às ordens do Presidente Bashar al-Assad anunciou esta quinta-feira a libertação de 32 cidades no nordeste da província de Alepo e a aproximação à cidade de Al Bab, o próximo objetivo.

Ainda sob controlo dos “jihadistas”, Al-Bab fica cerca de 50 quilómetros a nordeste da cidade de Alepo e 100 quilómetros a sul da fronteira com a Turquia.

Com o objetivo de impedir a aproximação dos “jihadistas”, Ancara mobilizou forças militares para a região e coordenou-se com a Rússia, um dos principais aliados de Assad, para realizar operações militares na faixa junto à respetiva fronteira ao lado dos grupos rebeldes da oposição ao regime sírio, integrantes do chamado Exército Livre Sírio.

Fonte do exército turco revelou à agência Anadolu terem sido realizadas 244 operações militares contra alvos do “Daesh” no norte da Síria, incluindo na zona de Al-Bab.

De acordo com a Reuters, uma fonte dos aliados de Assad terá admitido que o exército às ordens do regime sírio estaria prestes a chegar a Al-Bab e pronto para entrar em combate, se necessário, também com o Exército Livre Sírio que luta com os militares turcos contra os “jihadistas” do Estado Islâmico.

É tempo de ajudar refugiados e não bloqueá-los

À margem desta guerra civil, agrava-se o drama dos refugiados sírios.

De visita ao campo de acolhimento de Jibreen, nos arredores da cidade de Alepo, o Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, ao “ver a destruição causada pela guerra”, disse perceber de facto “o que significa ser refugiado e porque é tão importante nesta altura ser solidário e não rejeitar dar ajuda”.

“Devemos dar asilo sempre que possível e não bloquear os refugiados nas fronteiras”, defendeu Filippo Grandi.

Prestes a entrar no sexto ano de guerra civil, o conflito sírio já matou quase meio milhão de pessoas. A Organização Internacional para a Migração estima que a guerra na Síria já levou quase cinco milhões a fugir do país e que haverá mais de seis milhões de deslocados dentro das próprias fronteiras.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Duas crianças entre os seis mortos após bombardeamentos de Assad em Idlib

Região rebelde de Idlib bombardeada após ataque em Homs

Ataque aéreo provoca várias vítimas mortais num mercado no noroeste da Síria