EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Um acordo estúpido": Donald Trump semeia discórdia com aliado australiano

"Um acordo estúpido": Donald Trump semeia discórdia com aliado australiano
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Donald Trump inflama as relações com a Austrália depois de ter classificado como “estúpido”, o acordo com Camberra para acolher 1.

PUBLICIDADE

Donald Trump inflama as relações com a Austrália depois de ter classificado como “estúpido”, o acordo com Camberra para acolher 1.250 refugiados nos Estados Unidos.

Foi nestes termos que, na sua conta Twitter, o novo presidente prometeu rever o entendimento selado no ano passado com a administração Obama.

Do you believe it? The Obama Administration agreed to take thousands of illegal immigrants from Australia. Why? I will study this dumb deal!

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) February 2, 2017

Segundo o Washington Post, Trump teria já exprimido a sua rejeição da medida durante uma tensa conversa telefónica com o primeiro-ministro australiano, durante o fim de semana.

De acordo com o jornal , o magnata teria considerado o acordo como “o pior de sempre”, acusando a Austrália de tentar “exportar bombistas como os de Boston”, durante uma conversa que deveria durar uma hora e que terminou, de forma abrupta, ao final de 20 minutos.

O chefe do executivo australiano Malcolm Turnbull, rejeitou comentar as alegações, depois de ter garantido que Trump vai respeitar o acordo migratório.

“Aprecio o vosso interesse mas é melhor que estas conversas sejam levadas a cabo de forma direta, franca e em privado. Não vou juntar nada aos relatos que apareceram na imprensa”.

O acordo prevê a transferência para os Estados Unidos de 1.250 refugiados dos polémicos centros de detenção australianos nas ilhas de Nauru e Papua Nova Guiné.

Entre os refugiados encontram-se cidadãos de países visados pelo decreto anti-imigração assinado na semana passada por Trump.

O tom do novo presidente face ao maior aliado dos EUA na zona Ásia- Pacífico volta a levantar questões sobre o impacto dos desacordos de Trump na diplomacia norte-americana.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Um grande gesto de um grande presidente". Líderes europeus reagem à desistência de Biden

Comício Republicano: Trump diz que levou "tiro pela democracia" e elogia Putin, Xi e Orbán

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais