Caótica e cobarde a atuação da polícia no ataque na Tunísia em 2015

Caótica e cobarde a atuação da polícia no ataque na Tunísia em 2015
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um juiz britânico, definiu como “caótica” e “cobarde” a resposta da polícia tunisina ao ataque de 2015, que terminou com a morte de 38 pessoas, trinta delas…

PUBLICIDADE

Um juiz britânico, definiu como “caótica” e “cobarde” a resposta da polícia tunisina ao ataque de 2015, que terminou com a morte de 38 pessoas, trinta delas britânicas. Um homem, disparou, indiscriminadamente, contra turistas numa praia, frente a um hotel de luxo. Para o magistrado o atraso na intervenção foi “deliberado e injustificável”.

As famílias das vítimas querem mais:

“Em nome dos nossos clientes, que perderam membros das suas famílias, e daqueles que foram feridos neste terrível incidente, friso que é crucial que toda a indústria das viagens aprenda com o que aconteceu em Sousse, para reduzir o risco de que catástrofes similares aconteçam no futuro”, afirmou Kylie Hutchison, advogada das vítimas.

O ataque, que ocorreu a 26 de junho de 2015, foi conduzido por um jovem tunisino, armado com uma Kalachnikov, que acabou abatido.

A decisão da justiça britânica abre caminho a processos cíveis por parte de sobreviventes e famílias das vítimas. Ainda assim, o juiz considerou que o hotel e o operador turístico não têm responsabilidade na tragédia. As famílias criticavam a agência de viagens por não permitir o cancelamento das mesmas depois do ataque em Tunis.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Velha guarda do rock em peso na abertura da Gibson Garage

Notas com cara de Carlos III entram em circulação em junho

As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo