Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

PSA-Opel/Vauxhall: Um novo gigante automóvel europeu

PSA-Opel/Vauxhall: Um novo gigante automóvel europeu
Tamanho do texto Aa Aa

A PSA Peugeot-Citröen oficializa a compra da Opel/Vauxhall à General Motors (GM), três anos depois de ter evitado a falência.

A aquisição das duas marcas e da filial financeira da GM, em parceria com o banco BNP Paribas, ronda os 2,2 mil milhões de euros.

O grupo PSA supera a rival gaulesa Renault e torna-se assim o número dois do setor automóvel na Europa, atrás da Volkswagen.

Na conferência de imprensa em Paris, com Mary Barra, da GM, o patrão da PSA, Carlos Tavares, afirmou: “Queremos criar um campeão automóvel europeu, através da combinação de uma empresa francesa e uma alemã. Estamos realmente comprometidos com estas marcas icónicas e as heranças alemã e britânica”.

A divisão europeia da GM acumulou, em 16 anos, perdas de 15 mil milhões de euros. No entanto, a PSA espera obter lucros dentro de três anos, através de sinergias e usando a própria experiência.

Tavares assegura que o encerramento de fábricas não está no programa.

O negócio foi saudado pelo Eliseu e satisfaz Berlim. Mas Brigitte Zypries, ministra alemã da Economia, pede: “O que é importante agora é criar mais transparência até ao encerramento das negociações futuras, para envolver ainda mais os sindicatos e a administração da Opel, para obter um bom resultado para a Opel na Alemanha”.

A Opel/Vauxhall tem seis centros de montagem, seis fábricas de peças e 40 mil funcionários em toda a Europa.

Os sindicatos franceses, alemães e britânicos estimam que o negócio favorece o emprego, mas mostram-se prudentes.

Len McCluskey, sindicalista britânico, estima: “Por esta altura no próximo ano, em meados do próximo ano, precisaremos de garantir a produção aqui de um novo modelo e será realmente um desafio para todos nós. É extremamente importante que a produção Vauxhall permaneça no Reino Unido”.

E qual será o impacto da saída do Reino Unido da União Europeia?

Face ao “Brexit”, o patrão da PSA mostra-se tranquilo: “Se for um ‘Brexit’ duro, em termos de estratégia, será uma excelente oportunidade para fornecer o mercado britânico com carros produzidos no Reino Unido”.

O negócio deverá estar concluído até ao final do ano. Mas durante um certo tempo, a Opel/Vauxhall continuará a usar tecnologia da General Motors.

Na Europa, o gigante norte-americano guardará o centro de engenharia em Turim, em Itália.