EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Angela Merkel defende relações diplomáticas com a Turquia mas exige fim dos ataques

Angela Merkel defende relações diplomáticas com a Turquia mas exige fim dos ataques
Direitos de autor 
De  Patricia Cardoso com Lusa, Reuters, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A chanceler alemã defende a manutenção das relações bilaterais com a Turquia, apesar da tensão diplomática e das profundas divergências existentes entre os dois…

PUBLICIDADE

A chanceler alemã defende a manutenção das relações bilaterais com a Turquia, apesar da tensão diplomática e das profundas divergências existentes entre os dois países.

No parlamento, Angela Merkel defendeu a importância de manter as relações, com base nos valores e posições da Alemanha.

A líder alemã considerou ainda “triste” e “deprimente” que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tenha comparado a Alemanha atual com o regime nazi e exige que esses ataques cessem.

Ao mesmo tempo, Merkel procurou evitar que as divisões turcas se propaguem à Alemanha: “Quero dirigir-me brevemente às pessoas de origem turca, quer tenham ou não a nacionalidade alemã ou vivam aqui há muitos anos. Fazem parte do nosso país. Queremos fazer o necessário para garantir que os conflitos internos da Turquia não destabilizem as relações com e no seio das nossas comunidades”.

During government adress in Bundestag, Chancellor #Merkel stresses freedom of speech in #Turkey. #FreeDeniz#freewordsturkeypic.twitter.com/hBdEIBZQBa

— DW | Politics (@dw_politics) 9 de março de 2017

No parlamento, alguns deputados ecologistas aproveitaram para reiterar os apelos à libertação de Deniz Yücel. O jornalista germano-turco, correspondente do “Die Welt”, foi detido na Turquia, em meados de fevereiro, acusado de “incitação ao ódio” e “propaganda terrorista”.

As relações diplomáticas sofreram um novo golpe com o cancelamento de alguns comícios de ministros turcos junto da diáspora na Alemanha. Estes procuravam fazer campanha a favor do “sim” no referendo de abril, que pede o reforço dos poderes do presidente Erdogan.

A Alemanha acolhe cerca de três milhões de turcos, a maior comunidade imigrante no país, e 1,5 milhões podem votar no referendo.

Os comícios não estão proibidos, mas sujeitos a aprovação das autoridades locais.

Politicians from #Turkey are allowed to appear in #Germany with prior announcement and approval, #Merkel said. But… pic.twitter.com/yV5Wl1TTPC

— DW | Politics (@dw_politics) 9 de março de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemanha e Turquia tentam reparar relações sem grande sucesso

Diplomacia alemã e turca tomaram um pequeno-almoço de desagravo, mas as tensões persistem

Controversa visita de Erdogan a Berlim depois de ter apelidado Israel de "Estado terrorista"