EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Egito: Autoridades libertam antigo Presidente Hosni Mubarak

Egito: Autoridades libertam antigo Presidente Hosni Mubarak
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva com SÉRGIO ALMEIDA
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mubarak renunciou à presidência do Egito em fevereiro de 2011, depois de uma onda de protestos no país, no quadro das chamadas primaveras árabes.

PUBLICIDADE

Com Sérgio Almeida

Após seis anos de detenção, Hosni Mubarak saiu esta sexta-feira em liberdade, no Cairo.

O antigo Presidente egípcio estava detido num hospital militar da capital.

Mubarak foi agora levado para casa, no exclusivo bairro de Heliópolis.

A libertação de Mubarak marca um novo capítulo na saga de um presidente que foi alvo de uma revolução popular contra a sua governação, pedindo o fim de 30 décadas marcadas por corrupção, abuso de poder, violação sistemática dos Direitos Humanos e repressão e tortura de opositores.

#Egypt's Mubarak walks free for first time in six years: Reuters https://t.co/5TCFFknnVHpic.twitter.com/XbKBK2h78Q

— Ahram Online (@ahramonline) 24 mars 2017

A libertação do antigo presidente egípcio é, para muitos, no país, uma má notícia, como também o é para os vários países do norte de África e Médio Oriente, palco das primaveras árabes. Tunísia, Líbia, Iémen, Bahrein, Egito e Síria viveram ou vivem momentos difíceis depois das revoluções, entre guerras civis ou situações de Estados falhados.

Renúncia e condenações

Hosni Mubarak renunciou à presidência do Egito a 9 de Fevereiro de 2011, depois de uma onda de protestos no país.

Foi primeiramente detido, depois julgado e condenado a prisão perpétua pela morte de 239 manifestantes.

Mais tarde, em novembro de 2014, foi absolvido destes crimes e internado no hospital militar de Maadi, no Cairo.

Hosni Mubarak, uma vida ligada aos destinos do Egito

  • 1928- nasce no seio de uma família da burguesia rural do delta do Nilo

  • Piloto de caças da Força Aérea egípcia

  • Chega depois ao topo da hieraquia militar

  • 1973- Carreira política depois da guerra do Yom Kippur

  • 1975- Vicepresidente em 1975, nomeado por Anwar al-Sadat

  • 1981- Assume o poder depois do assassinato do presidente

  • Diálogo com Israel vale-lhe apoio do Ocidente

  • Aliado muito próximo dos Estados Unidos

  • Mandato marcado pela corrupção, desigualdades e repressão

  • Manteve o estado de urgência no Egito de forma permanente

  • Adversário determinado dos jihadistas no país e na região

  • 2011-Resignação no quadro da Revolução de 25 de janeiro

  • 2012- Condenado a prisão perpétua pela morte de manifestantes

  • Posteriormente libertado, diz estar “de consciência tranquila”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O que é o TPI e que papel desempenha no julgamento de crimes de guerra?

Luis Rubiales vai a julgamento pelo beijo não consentido a Jenni Hermoso

Neonazi português condenado a prisão efetiva por incitar ao ódio contra mulheres